Sem categoria

Carpinteiro morre após cair de 9 metros de altura em obra na Ponta Negra

José despencou de uma altura de 9 metros depois de um cabo de aço romper - foto: Josemar Antunes

José despencou de uma altura de 9 metros depois de um cabo de aço romper – foto: Josemar Antunes

O carpinteiro José Martins Ferreira, 65, morreu na tarde desta segunda-feira (18), após cair de uma laje, de aproximadamente 9 metros de altura, em uma obra localizada na rua Itaporanga, no  Parque Residencial Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus.

O acidente aconteceu por volta das 16h, quando José despencou da laje depois de um cabo de aço romper.

Segundo informações dos colegas de trabalho da vítima, José realizava a costura da laje e, ao tentar passar para outro lado da obra, caiu e morreu na hora.

O local do acidente foi isolado pela equipe de policiais militares da 19ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que acionou a perícia criminal da Polícia Civil.

Conforme um funcionário da empresa responsável pela obra, que preferiu não se identificar, acidentes são frequentes, mas essa foi a primeira com gravidade. “As condições de trabalho são péssimas e os responsáveis pela obra pouco se importam com a segurança do trabalhador.
Não temos sequer acompanhamento e a técnica de segurança do trabalho é fraca”, argumentou.
Os responsáveis pela  construção do prédio dificultaram o trabalho da imprensa e não quiseram comentar sobre o acidente.

A enteada da vítima, Alcenira Guimarães Costa, 39, afirmou que o carpinteiro estava trabalhando no local há mais de quatro meses e que a empresa dará toda assistência necessária à família.

Conforme o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil e Montagem do Estado do Amazonas (Sitracomec), Cícero Custódio, a vítima estava sem o Equipamento de Proteção Individual (EPI), que a empresa tem obrigação em disponibilizar para o funcionário trabalhar com a devida segurança.

Custódio informou ainda que, as normas de segurança asseguram, em um de seus itens, que acima de 2 metros, o funcionário deve estar equipado com uso de cinto de segurança. “Infelizmente é mais um trabalhador que morre em obra da construção civil sem estar utilizando o equipamento de segurança devidamente”, disse.

De acordo com a plantonista do 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), delegada Fernanda Antonucci, o caso será registrado na delegacia como acidente de trabalho, mas somente após a conclusão da perícia criminalística e o laudo do Instituto Médico Legal (IML) é que  as causas do acidente serão reveladas.

“Vamos aguardar o laudo da perícia e do IML concluirmos o inquérito policial sobre este acidente e identificar o que realmente aconteceu no local, se foi imprudência do trabalhador ou da falta de segurança na obra”, explicou Antonucci.

Por Josemar Antunes (especial EM TEMPO Online)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir