Cultura

Cantora amazonense, Felicidade Suzy, volta a se apresentar em Manaus

Felicidade Suzy ganhou projeção nacional no início da década de 1990, quando venceu um concurso de novos talentos no programa Domingão do Faustão - foto: divulgação

Felicidade Suzy ganhou projeção nacional no início da década de 1990, quando venceu um concurso de novos talentos no programa Domingão do Faustão – foto: divulgação

A cantora amazonense Felicidade Suzy volta a Manaus após dois anos para duas apresentações, nos dias 17 e 18 deste mês, ambas às 21h, no Bardot Bar, na Zona Centro-Oeste de Manaus. O show do sábado (18), já está com todos os ingressos esgotados, mas ainda há mesas para quatro pessoas, ao preço de R$ 200, para a sexta (17). Felicidade promete cantar grandes sucessos da sua carreira como Katamarães e Amor Perfeito.

Felicidade Suzy ganhou projeção nacional no início da década de 1990, quando venceu um concurso de novos talentos no programa Domingão do Faustão. Com menos de 20 anos de idade, foi introduzida na música popular brasileira (MPB) por Baden Powell, um dos “pais” da “bossa nova”. Em 1990, fizeram um show juntos no Rio de Janeiro, no “Un, deux, trois”, sob a direção de Ronaldo Bôscoli.

Em 1993, Felicidade Suzy ganhou projeção nacional ao vencer o concurso para revelação de novos cantores no programa Domingão do Faustão, da TV Globo. Duas canções gravadas pela cantora amazonense tornaram-se temas de novelas da emissora carioca: “Maluco beleza”, da novela “A Indomada”; e “Onde o céu azul é mais azul”, da novela “Pátria minha”.

São dignas de destaque as participações especiais de Felicidade Suzy em songbook de Chico Buarque, com a gravação da canção “Vida”, e em CDs de Baden Powell, com a canção “Falei e disse” (em “Baden Powell and the musicians” e “A música brasileira deste século por seus autores e intérpretes”).

A cantora lançou, até o momento, três CDs individuais: (1) Felicidade Suzy, pela gravadora Continental, em 1994; (2) Chegou a hora, pela Polygram, em 1997; e (3) O que vem a ser felicidade, produção independente, com apoio do “Projeto Valores da Terra”, em 2004.

Participam de seu último CD consagrados arranjadores e instrumentistas, como, entre outros, Lincoln Olivetti, João Lyra, Cristóvão Bastos, Zé Canuto, Julinho Teixeira, André Neiva, Jakaré e Jurim Moreira.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir