Esportes

Canoísta baiano conquistou mais uma medalha de ouro no Pan de Toronto nesta terça-feira

A vitória na prova de velocidade C1 200 foi a terceira medalha do brasileiro na competição. Na segunda-feira (13), ele também conquistou uma medalha de ouro e outra de prata prova de duplas.

Isaquias chegou na primeira colocação com o tempo de 40s189, menos de um segundo a frente do atleta canadense Jason Mccoombs, que fez a prova em 41s002.

Na prova de caiaque, a K1 200m, o Brasil também faturou uma medalha. Edson Freitas ficou com a prata.

A diferença da canoa para o caiaque é que na primeira um vai de joelhos e na outra, sentado.

PROMESSA BRASILEIRA

Isaquias é uma das principais apostas do COB para ganhar uma das 30 medalhas projetadas para a Rio-2016.

Atualmente, Isaquias recebe a Bolsa Pódio do governo federal (R$ 25 mil mensais) e treina em Lagoa Santa (MG), com toda estrutura necessária para ser medalhista olímpico ano que vem.

Nascido em Ubaitaba, conhecida como a “cidade das canoas”, onde o Brasil mantém um centro de treinamento para as categorias de base da modalidade, Isaquias tem uma história marcada pela superação.

Aos 3 anos, ele sofreu queimaduras em casa que marcam sua pele até hoje. Aos 10, o maior drama. Após cair de uma árvore em cima de pedras, ele teve hemorragia interna e precisou retirar um dos rins. O fato gerou até o apelido “sem rim” na adolescência. Atualmente, com controle de alimentação, ele diz que isso não o atrapalha.

Campeão mundial júnior em 2011 e bronze no Mundial de 2013 no C1 1000 m (prova olímpica), ele também é o atual bicampeão mundial (2013 e 2014) na C1 500 m (que não está no programa olímpico).

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir