Política

Candidatos homologam candidatura ao governo do Amazonas

     Marcelo Serafim e Sirlam Cohen estiveram no TRE e homologaram a candidatura – Fotos: Arthur Castro

Nesta segunda-feira (19), os candidatos estiveram na sede do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), em Manaus, para oficializar suas candidaturas ao cargo de governador do Amazonas nas eleições suplementares deste ano. Entre afagos e discursos diante as câmeras e gravadores dos jornalistas presentes, várias propostas foram apresentadas por cada um dos candidatos. O Portal EM TEMPO selecionou alguns dos principais pontos frisados pelos concorrentes.

Amazonino estava ao lado do vice, Bosco Saraiva

Amazonino Mendes: Sem querer detalhar os planos de governo, Amazonino foi evasivo sobre as soluções que pretende implementar se eleito. Perguntado, limitou-se a dizer que é preciso consertar os problemas identificados na estrutura do governo.

“Vamos primeiro arrumar a casa, depois veremos o restante”, disse.

Eduardo Braga: O senador Eduardo Braga se aliou a Marcelo Ramos, que adotou um tom mais ameno sobre o antigo desafeto político. Braga disse que o Estado está na UTI, citando como exemplo o tiroteio ocorrido no bairro Raiz, na noite deste domingo (18).

“Nunca vimos aqui no Amazonas um tiroteio com uso de fuzil. A crise, no entanto, não está apenas na segurança, mas na saúde que não tem remédio e há filas intermináveis. O desemprego, que faz de Manaus a capital com maior índice de desempregados, proporcionalmente”, falou o candidato, antes de citar que a eleição anterior foi “fraudada”.

Eduardo Braga quer um pleito mais transparente, diferente o de 2014

Eduardo foi o responsável pelo processo que levou a cassação do então governador eleito José Melo (Pros), que foi condenado por compra de votos nas eleições de 2014.

Marcelo Serafim: “Vamos fazer uma campanha limpa, serena e crítica. Amazonino e Eduardo não podem ter o direito de governar o Estado. Eles representam o antigo, tudo que há de ruim na política”, discurso na frente do órgão. Com essas declarações fortes, o candidato Marcelo Serafim , filho do deputado estadual Serafim Corrêa, que já foi prefeito de Manaus, ressaltou que há menos estrutura em sua campanha, mas que não trai sua história política. Ele aproveitou para dar uma indireta ao vice candidato na chapa de Braga, Marcelo Ramos, insinuando que ele se rendeu ao cacique político.

Rebecca foi a última candidata a fazer o registro. Ela estava ao lado do vice na chapa, Abdala Fraxe

Rebecca Garcia: Rebecca Garcia compôs uma chapa de três partidos. Última candidata a registrar a candidatura no órgão eleitoral, Rebecca disse que observa um interesse de mudança por onde passa e que aposta na coragem para realizar as mudanças que julga necessárias, caso seja eleita. Sobre o plano de governo, ela destacou quatro itens que serão priorizados.

“Nosso marco forte será um governo de transparência e combate à corrupção, atenção à saúde, segurança e geração de emprego. Eu diria que são os quatro pontos de maior ênfase em nossa candidatura. Mas se fosse pra definir a prioridade maior, seria a saúde, pois é algo mais urgente”, explicou.

Wilker Barreto: O vereador Wilker Barreto aposta na composição entre outros quatro partidos, além, do PHS, ao qual é filiado, para conquistar mais tempo de televisão e reconhecimento à sua candidatura. Barreto reforçou a importância que sua chapa dará às redes sociais, como forma de divulgar os planos de governos.

Wilker Barreto pretende usar as redes sociais na campanha

“Temos um plano de governo compatível com um mandato de apenas 16 meses, para que possamos atender o que é necessário”. O candidato disse, ainda, que pretende investir na produção rural no interior do Estado, citando como exemplo a importação do tambaqui.

Liliane Araújo: Conhecida por anos de trabalho no jornalismo televisivo amazonense, Liliane Araújo investiu na imagem construída na TV para alavancar sua carreira política. Nos últimos anos, ela concorreu ao cargo de vereadora e tem participado de articulações nos bastidores. O cargo de governadora do Amazonas seria o seu maior desafio na política. Questionada por sua inexperiência na área, ela garante que tem este “afastamento” dos grandes caciques políticos como ponto a seu favor, além da credibilidade construída nos anos de televisão.

Luiz Castro: Conhecido deputado de oposição, Luiz Castro (Rede) se uniu ao delegado de polícia João Victor Tayah, apresentando a chapa como uma “opção ficha limpa” aos eleitores. Tayah, que é um conhecido “concurseiro” em Manaus, investe mais uma vez na vida política. Ele concorreu para vereador nas eleições de 2016, com votação expressiva para um estreante.

No plano de governo, eles definem atuações emergenciais e um plano generalizado de ação. Entre as primeiras medidas, prometem auditar contratos de valores elevados, especialmente na administração pública, saúde e segurança, visando otimizar os investimentos nessas áreas.

José Ricardo Wendling: José Ricardo tem conhecida carreira política no Amazonas. Em parceria com seu candidato a vice-governador, Sinésio Campos, forma a chapa puro sangue do Partido dos Trabalhadores, tentando conquistar votos e a confiança do eleitorado ainda sob influência dos acontecimentos que levaram ao impeachment da ex presidente Dilma Roussef e o envolvimento de lideranças do partido exposto pela operação Lava Jato. Eles oficializaram a candidatura, na tarde deste domingo (18)

Raphael Sampaio

EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir