Mundo

Candidatos democratas acirram disputa na corrida presidencial dos Estados Unidos

A dez dias das primárias de Nova York, a disputa entre Hillary Clinton e Bernie Sanders para representar o Partido Democrata nas eleições presidenciais dos Estados Unidos está se tornando cada vez mais acirrada. Sanders acusou ontem (7) Hillary de não estar qualificada para ser presidente. Em resposta, Hillary disse que Sanders fala “bobagem” e que ele faz promessas que não pode cumprir.

A troca de acusações entre os dois candidatos está tornando o ambiente entre democratas semelhante ao dos republicanos. Até o momento, o estilo dos democratas era de enfrentamento de ideias, sem  acusações pessoais. Ao contrário, a marca dos candidatos do Partido Republicano tem sido a acusação pessoal com ofensas e ironias.

O tom mais exacerbado dos democratas se deve à expectativa em relação às primárias de Nova York. Sanders, que é senador pelo estado de Vermont, precisa ganhar em Nova York se quiser ter a chance de se aproximar de sua adversária. Hillary, que foi senadora por Nova York, não quer passar pelo vexame de perder a disputa no estado em que atuou politicamente por oito anos.

Nova York é uma cidade americana de predominância negra. Isso pode favorecer Hillary, que tem vencido nas cidades com população majoritária de latinos e negros. Com propostas políticas mais à esquerda, Bernie Sanders tem, para se aproximar de Hillary, de ganhar em estados que tradicionamente elegem políticos que defendem programas independentes ou anticonservadores.

Além de Nova York, os estados que se identificam com a tendência política à esquerda, e que ainda não tiveram prévias, são a Califórnia, Nova Jersey e a Pensilvânia. Para ter chances, porém, Sanders tem de ganhar com maioria esmagadora nesses estados.

A presente fase da campanha presidencial é a do embate de ideias e da busca de apoio para representar cada partido. A próxima fase, marcada para o final de julho, será constituída pelas convenções de cada um. Durante as convenções, cada partido procurará unificar o apoio dos membros à plataforma do candidato vencedor.

Os partidos tentam, na fase atual, fazer com que os candidatos não se excedam nas discussões e não façam acusações pessoais que possam prejudicar o plano de unificar o apoio de todos os candidatos que perderam em torno do programa do vencedor.

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir