Eleições 2016

Candidatos começam a prestar contas das doações recebidas para campanha eleitoral ao TRE-AM

Silas-Divulg

Silas é o que mais tem recebido as doações, seguido do atual prefeito, Arthur Neto; dados são divulgados a cada 72 horas à Justiça Eleitoral – foto: divulgação

Silas já soma R$ 500 mil em doações eleitorais. O levantamento foi divulgado na página do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e apresenta também Arthur Neto (PSDB) e José Ricardo (PT) como o segundo e terceiro colocados, respectivamente, em valor de arrecadação.

Com doações eleitorais que somam R$ 500 mil na primeira semana de campanha nas ruas, o candidato a prefeito de Manaus, Silas Câmara (PRB), lidera a lista dos prefeituráveis que possuem o maior valor em caixa, conforme balanço parcial da prestação de contas divulgada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Em segundo lugar em arrecadação, aparece o candidato à reeleição, prefeito Arthur Neto (PSDB), que até a última prestação de contas enviada ao TSE já contabilizava R$ 119 mil. O terceiro em doação é o candidato petista José Ricardo, que possui R$ 87 mil em caixa. Todos os doadores são pessoas físicas. Conforme as novas regras eleitorais, todos os candidatos, coligações e partidos políticos são obrigados a enviar à Justiça Eleitoral o relatório financeiro de campanha, a cada 72 horas, contadas a partir do recebimento da doação.

De acordo com o site do TSE, o valor divulgado por Silas Câmara é referente a uma única doação, vinda da direção nacional do PRB, partido do candidato.

Já a verba de Arthur Neto é oriunda de cinco doações de pessoas físicas: Marcos Cavalcanti, procurador-geral do município, que doou R$ 43 mil; Eraldo de Souza Teles, R$ 39 mil; Mário Barros, secretário-geral do PSDB regional, que doou R$ 16 mil; Franklin Jana Pinto, R$ 15 mil; e Marcelo Martiniano Barbosa, que doou R$ 6 mil para a campanha do tucano.

José Ricardo também apresenta cinco doadores físicos no primeiro relatório financeiro declarado ao TSE. O maior deles vem do próprio candidato, que já repassou à sua campanha mais de R$ 74 mil. O restante é oriundo das doações de várias pessoas físicas, entre os quais Raimundo Clerisvan de Sousa Lima, que doou R$ 4 mil; Nayleide Araújo Silva e José Carlos Valim, que doaram, igualmente, o valor de R$ 1.537,50; e Raimundo Nonato de Oliveira, que doou R$ 1,4 mil.

Caixa zerado

Enquanto Silas, Arthur e José Ricardo já declaram ter recursos em caixa, os demais candidatos ainda não repassaram nenhuma informação ao TSE em relação as suas prestações de contas. Para Henrique Oliveira (SDD), o envio de seu balancete à Justiça Eleitoral irá coincidir com o vencimento da folha de pagamento. “Nós vamos enviar o relatório ao TSE e até o final desta semana já vai ter doação de pessoa física para honrar nossos compromissos com a campanha, como pagamentos do pessoal no final do mês e aluguel de veículos”, disse o candidato.

Apesar de estar com a conta da campanha zerada, o candidato Luiz Castro (Rede) garante que já foi efetuado um único depósito, dele mesmo, na conta. “Houve uma única doação, minha, e o TSE deve estar atualizando esse dado. Hoje (ontem) teremos uma nova doação. Nossos recursos serão pequenos porque nós somos seletivos e queremos uma campanha simples, sem alto custo e que não tire a nossa credibilidade”, argumentou.

Marcelo Ramos afirmou que o recurso do PR deve cair ainda hoje (ontem). “Muitas pessoas perguntam como a gente está fazendo campanha sem dinheiro no caixa e falo que a gente está fazendo ‘fiado’, e a lei permite isso, que a gente contrate serviços para pagamento posterior”, explicou. A assessoria de comunicação do candidato Professor Queiroz afirmou que ainda estão arrecadando verba esta semana para enviar ao TSE.

Serafim Corrêa (PSB) informou que está no aguardo da transferência do diretório nacional, prometida para hoje (ontem). “Assim que a verba for repassada, comunicaremos ao TRE”, adiantou.

Também com o caixa zerado, Hissa Abrahão (PDT) informou que só irá se pronunciar sobre o assunto nesta quarta-feira.

Fiscalização

De acordo com o coordenador de Controle Interno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), Hernam Batalha, independente da arrecadação que houver em caixa, os candidatos podem continuar a realizar as despesas para pagamentos posteriores.

“A princípio, não há nada de errado com a não arrecadação de recursos, só aponta que não entrou dinheiro. Mas, os candidatos já podem utilizar bandeira, santinho, carro de som e cabo eleitoral. Ele compra e pode efetuar o pagamento depois. Os candidatos podem contratar despesas e realizar o pagamento até o primeiro dia da prestação de contas – 9 a 13 de setembro – e no último dia para prestação de contas, 1º de novembro”, explicou o coordenador.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir