Economia

Cancelamento de visita do ministro da Indústria e Comércio a Manaus causa desconforto no setor

Pereira participaria de audiência pública na Aleam para debater os atuais gargalos da ZFM – foto: divulgação

Pereira participaria de audiência pública na Aleam para debater os atuais gargalos da ZFM – foto: divulgação

Empresários e políticos do Amazonas se disseram embaraçados e desconfortáveis com atual política do novo governo federal após o cancelamento da visita que o novo ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira (PRB) faria a Manaus nesta quarta-feira (8).

Ele participaria de audiência pública na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), onde seriam debatidos os atuais gargalos da Zona Franca de Manaus, como a manuteção dos incentivos ao Polo Industrial, além dos Processos Produtivos Básicos (PPB’s) para as empresas. Segundo Pereira, a suspensão foi motivada por uma reunião com o presidente interino Michel Temer (PMDB).

Para o presidente do Centro da Indústria do Estado Amazonas (Cieam), Wilson Périco, “o cancelamento da vinda do ministro sem uma justificativa plausível, mostra o nível de descompromisso do governo com o Polo Industrial de Manaus”.

Os PPB’s faz parte de um conjunto mínimo de etapas de produção que todas as fábricas do PIM devem cumprir para produzir determinado produto e assim, ter direito aos benefícios fiscais. Porém, essa lei já está desatualizada e precisa ser rediscutida, para beneficiar as indústrias. Os incentivos são garantidos pela legislação da Zona Franca e pela legislação de incentivo à indústria de bens de informática, telecomunicações e automação.

O presidente da Cieam ressaltou que a pauta em debate é a mesma de sempre, ou seja, o respeito aos investimentos que gerem renda e riqueza e que contribuam para o desenvolvimento do país. “Não estamos pedindo favor ao governo, mas investimentos. O nosso Estado é um dos oito que devolvem ao governo um valor acima do repasse que recebe. Devolvemos duas vezes e meia a mais que o governo investe. Como é que um governo não reconhece esse modelo que estamos conduzindo?”, questionou.

Um dos articuladores da vista do ministro a Manaus, o deputado Dermilson Chagas lamentou o cancelamento da agenda e afirmou que não irá desistir de trazer o ministro. “Vamos propor uma nova data para a vinda dele. Também vamos continuar a levar as demandas da indústria do Amazonas ao ministério”, afirmou.

O deputado Serafim Correa também falou sobre a discussão. “Eu manifestei minha preocupação porque os dois últimos ministros, Fernando Pimentel e o senador Armando Monteiro, vieram muito raramente aqui. Pimentel ficou duas horas e voltou. Outros ministros foram na mesma direção, o que é profundamente lamentável. O ministro Marco Pereira tem outro perfil, e não veio por conta de uma reunião com o presidente Temer, mas esperamos que no dia 23, ele esteja aqui para presidir a reunião do conselho da Suframa “, salientou Serafim.

Por Stênio Urbano

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir