Política

Campanha eleitoral nas ruas começa na terça-feira no Amazonas

Do dia 20 de junho até o dia 4 de agosto, os oito candidatos ao governo poderão realizar campanhas nas ruas – Márcio Melo

A campanha eleitoral para o pleito suplementar começa, oficialmente, na próxima terça-feira (20), mas os oito candidatos ao governo do Estado – escolhidos em convenções partidárias na semana passada – optam pelo silêncio sobre os primeiros atos de suas respectivas propagandas, para não entregar estratégias aos adversários.

Candidato em chapa puro-sangue do PT, o deputado José Ricardo disse que a legenda ainda não finalizou um planejamento, mas nos primeiros dias a tática da coordenação é que a campanha esteja nas ruas, que ele caminhe e converse com a população, apresentando as propostas.

“Como é uma campanha curta, de 45 dias, não dá para perder nenhum dia, principalmente porque é estadual. A partir do momento que for permitido fazer campanha, nós estaremos fazendo”, disse.

Segundo José Ricardo, os militantes do partido serão fundamentais nas ruas e que atuarão de forma voluntária, uma vez que a candidatura não terá tantos recursos financeiros.

O presidente estadual do PDT, deputado federal Hissa Abrahão, disse que não tem um cronograma definido em torno da campanha eleitoral do candidato do partido, o ex-prefeito Amazonino Mendes.

Mas adiantou que, nos próximos dias, será organizado um calendário de ações. Perguntado sobre como será conduzida sua campanha, Amazonino preferiu não falar sobre o assunto.

Candidato do PSB, o vereador Marcelo Serafim afirmou que o momento é de cuidar da parte burocrática da coligação, relacionada ao registro de candidatura, fazer fotos para cartazes e textos para ser inseridos nos programas de TV e rádio.

De acordo com Marcelo, todo o trabalho burocrático deve se estender até a terça-feira e, somente com tudo isso pronto é que vai, de fato, iniciar a campanha nas ruas. Ele não descartou a possibilidade de fazer bandeiradas nos sinais, panfletagem e caminhadas.

“O principal será o contato direto com a população. Vamos buscar conversar com as pessoas, formatar ideias junto com o povo, na certeza de que as candidaturas que foram postas, não representam a mudança que nós entendemos”, disse o candidato.

Mais prudente sobre suas primeiras ações, o candidato Eduardo Braga (PMDB) informou que só poderá falar de campanha a partir do dia 20, quando deverá ter em mãos o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) confirmando o nome na disputa eleitoral.

Plano de governo

O deputado Luiz Castro, candidato da Rede Sustentabilidade, disse que neste final de semana vai se concentrar na discussão do Plano de Governo. E, na segunda-feira, as prioridades serão as providências de registro da candidatura, incluindo os documentos referentes às convenções da Rede e do Psol; os documentos dos candidatos; a indicação de delegados e o próprio plano de governo, que serão entregues no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM).

“Ainda na segunda-feira à tarde, teremos uma reunião estratégica sobre a campanha para definirmos nossa agenda inicial”, adiantou.
Também neste final de semana, o PP deverá se debruçar na estratégia de campanha da candidata majoritária, Rebecca Garcia, um dos últimos nomes a ser confirmado para a disputa dessa eleição suplementar.

Regras

De acordo com o juiz eleitoral da 63ª Zona Eleitoral e da propaganda eleitoral, Celso Antunes da Silveira, a partir do dia 10 de julho, dará início ao período de propaganda eleitoral na TV e no rádio e até a próxima terça-feira – quando de fato inicia campanha – fica proibida qualquer proposta de propaganda eleitoral, seja ela nas ruas ou nas redes sociais, diferente do pleito de 2016, quando os candidatos podiam apresentar propostas e projetos sem ser considerado campanha antecipada.

“Até o dia 19 e junho (amanhã), é o prazo final de registro. Então, nesse período, pode ocorrer alguma alteração sobre quem poderá ser candidato ou não”, disse.

Período de propaganda

De acordo com o calendário eleitoral aprovado pelo TRE-AM, o período de campanha eleitoral para o primeiro turno da eleição acontece de 20 de junho a 4 de agosto e para o segundo turno, se houver, no período de 7 a 26 de agosto. Já a divulgação em rede de rádio e televisão, do horário eleitoral gratuito, no primeiro turno, acontece de 10 de julho a 3 de agosto e, no segundo turno, se houver, no período de 12 a 25 de agosto.

Sobre o limite de gastos nas campanhas eleitorais dos candidatos, o TRE-AM fixou para o primeiro turno do pleito o valor de R$ 16,2 milhões e, no segundo turno, de R$ 9,7 milhões, conforme os termos do artigo 5° da lei n. 13.165 de 2015.

Henderson Martins

EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir