Dia a dia

Caminhada pela paz leva fieis às ruas de Manaus na Cidade Nova

O objetivo da caminhada era reforçar a busca pela paz no mundo, como o principal remédio contra a violência - foto: Diego Janatã

O objetivo da caminhada era reforçar a busca pela paz no mundo, como o principal remédio contra a violência – foto: Diego Janatã

Com bandeirinhas nas mãos e faixas com pedido de Paz, aproximadamente 300 fiéis percorreram ruas do bairro Cidade Nova, na tarde desse sábado (1), durante a 5ª Caminhada Pela Paz. O objetivo da caminhada era reforçar a busca pela paz no mundo, como o principal remédio contra a violência. O público se concentrou em frente à Igreja de São Bento, localizada na avenida Noel Nutels, próximo ao Terminal de integração 3, e partiu em direção ao Cruzeiro, situado na avenida Timbiras, também no bairro Cidade Nova, Zona Norte de Manaus.

Presente na caminhada, o arcebispo de Manaus, dom Sérgio Castriani, explicou ao EM TEMPO que a importância da celebração é para que as pessoas acreditem em dias melhores. “A violência está tomando conta das famílias, dos bairros da cidade e do mundo e estamos pedindo a Deus a paz e o compromisso de uma vida melhor. A caminhada acontece no Dia da Paz Universal e é para mostrar que queremos paz e precisamos de paz. Quem acredita em Jesus, tem esperança”, afirmou.

Rodeada de rosas brancas, a imagem de Nossa Senhora Rainha da Paz abria os caminhos para a passagem dos fiéis, que saíram da Igreja de São Bento e partiram em direção ao Cruzeiro por volta de 17h. Emocionados, jovens erguiam bandeirinhas e cantavam diversas músicas para animar quem participava.

De acordo com o padre Eduardo Santos, da comunidade São Bento, a caminhada marca o início do ano de 2016, como sendo o ano da paz e misericórdia. Segundo ele, mais de dez áreas missionárias se faziam presente, entre elas, comunidade São Lucas, São Pedro, São Francisco das Chagas, Santa Mônica, Divina Misericórdia e São Bento. “A Zona Norte é conhecida por muita violência. Vemos violência no trânsito, violência doméstica e, com isso, nossa igreja [São Bento] ficou muito sensibilizada, afinal, precisamos lutar e defender a vida”, esclareceu.

Para a professora aposentada Dioneia Queiroz, 61, o principal sentimento que a levou para a caminhada desta sexta foi o de esperança. “Vim buscar a paz. A caminhada serve como um momento de reflexão e esperança de dias melhores. Sou da comunidade de São Bento e participo desde a primeira edição da caminhada”, disse.

O casal de irmãos e coroinhas, Brida Morgana, 14 e Malthus Leopoldo, 12, informou que a presença de crianças e adolescentes é importante para o futuro da nação. “Um jovem que participa de celebrações e vive uma vida ao lado de Deus é um jovem feliz. Somos o futuro da nação, a mudança da violência começa com nossas próprias ações”, justificou Brida.

A caminhada terminou com uma celebração campal, presidida por dom Sérgio, no Cruzeiro.

Por Luis Henrique

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir