Sem categoria

Câmera Municipal de Parintins discute problema de lixeira  em audiência pública

 

A audiência foi resultado de uma manifestação ocorrida semana passada por moradores da Zona Oeste de Parintins - foto: Roberto Carlos

A audiência foi resultado de uma manifestação ocorrida semana passada por moradores da Zona Oeste de Parintins – foto: Roberto Carlos

Parintins (AM) – A Câmara Municipal realizou na manhã desta quarta-feira (18), uma acirrada audiência pública para discutir a questão da lixeira pública do município.

A audiência foi resultado de uma manifestação ocorrida semana passada por moradores da Zona Oeste, alunos e professores da Universidade Estadual do Amazonas  (UEA) campus Parintins e começou às 08:30 da manhã. Foram mais de  quatro horas de debate.

Além dos vereadores, professores, alunos e populares, participaram  os secretários municipais Suame Patrocínio, de Limpeza Pública e Meio-Ambiente; Samarone Moura, de Produção Rural e diretor do Saae; Fabiana Campelo, subsecretária de Limpeza Pública; e Marcos da Luz, assessor de Planejamento da prefeitura Municipal.

Durante a audiência, o professor da UEA, Eliseu Souza, denunciou que a cada dia a situação do lixão a céu aberto fica insustentável, principalmente depois dos últimos incêndios registrados no local. “Estamos trabalhando de máscara, os alunos estão estudante de máscara, a fumaça está nos matando aos poucos e estamos cansados de discurso”, disse o educador.

O presidente da Associação de Moradores do Bairro Dejard Vieira, Mário Uchoa, lamentou a ausência do Ministério Público Estadual e de representantes do Ipaam, Ibama e outros setores envolvidos com a questão.   Nenhuma autoridade estadual participou dos debates no Centro de Estudos Superiores de Parintins – UEA.

Os vereadores que se pronunciaram foram unânimes em reconhecer a urgência de uma solução para amenizar o drama enfrentado hoje pela UEA e famílias que residem na zona oeste da cidade para onde vai com intensidade a fumaça tóxica emitida pelo lixão.

Um dos momentos tensos da audiência foi a chegada do prefeito de Parintins, Alexandre da Carbrás, que foi recebido com vaias pelos universitários. Carbrás, ao falar, criticou uso do movimento da lixeira por políticos de oposição e disse que a audiência pública abre um novo caminho na busca de uma solução para o problema. O prefeito finalizou sua fala com um pedido às universidades. “Peço que não fiquem apenas no discurso, no “oba-oba” que possamos nos unir e cobrar medidas das autoridades”.

Comissão

Ao final dos debates, ficou definido a criação de uma Comissão Permanente de Fiscalização da Lixeira com a participação das universidades, associações de Bairro, representantes da Câmara Municipal e a Prefeitura e de outros segmentos da sociedade civil para acompanhar a execução de um organograma de ações emergenciais que deverão ser desencadeadas nos próximos dias na cidade de Parintins.

O diretor da UEA-Campus Parintins, David Xavier, considerou uma vitória da instituição e dos movimentos sociais a realização da audiência pública. “Estamos mobilizados e esperando que tudo o que foi definido aqui saia do papel”, afirmou.

Por Tadeu de Souza

1 Comment

1 Comment

  1. Rofa

    19 de novembro de 2015 at 05:45

    “Câmera” Municipal? Por favor corrijam isso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir