Política

Câmara registra apenas duas ausências na votação do impeachment

Os dois faltosos são Anibal Gomes (PMDB-CE), que estaria com problema de saúde, e a deputada Clarisse Garotinho (PR-RJ), que está na 35ª semana de gravidez e apresentou atestado médico -  foto: divulgação

Os dois faltosos são Anibal Gomes (PMDB-CE), que estaria com problema de saúde, e a deputada Clarisse Garotinho (PR-RJ), que está na 35ª semana de gravidez e apresentou atestado médico – foto: divulgação

Ao contrário do que muitos imaginavam, apenas dois dos 513 deputados que compõem a Câmara se ausentaram da votação de hoje (17) para abertura ou não do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Compareceram para a votação 511 deputados.

Os dois faltosos são Anibal Gomes (PMDB-CE), que estaria com problema de saúde, e a deputada Clarisse Garotinho (PR-RJ), que está na 35ª semana de gravidez e apresentou atestado médico.

Os dois faltosos são considerados votos contrários à abertura do processo de impeachment, uma vez que para aprovação do parecer do relator, deputado Jovair Arantes (PTB-GO), são necessários 342 votos favoráveis.

O parecer de Arantes é pelo acolhimento da denúncia dos juristas Hélio Bicudo, Reale Junior e Janaína Paschoal, que pede o impeachment da presidenta Dilma Rousseff por crime de responsabilidade. A deputada Clarisse Garotinho já havia declarado que votaria a favor da abertura do processo de afastamento da presidenta Dilma.

Na sessão da Câmara de 29 de setembro de 1992, que aprovou a admissibilidade para abertura do processo de cassação do mandato do então presidente Fernando Collor de Mello, compareceram 480 dos 503 deputados que compunham a Câmara à época. Naquela sessão, 23 deputados se ausentaram da votação.

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir