Política

Câmara reforça segurança para entrada nas dependências da Casa

Embora tenha elogiado a escolha de Michel Temer como articular, Cunha deixou claro que não iria alterar sua linha de atuação anti-governo, na Câmara – foto: Wilson Dias/ABr

 foto: Wilson Dias/ABr

Irritado com exageros em manifestações e com incidentes ocorridos nos últimos dias, o presidente daCâmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), determinou mudanças no sistema de acesso ao local. Pelas novas normas, que entram em vigor nesta sexta-feira (6), apenas os parlamentares – deputados e senadores – estão dispensados de passar vistorias e pelos equipamentos de raio X nas entradas dos prédios da Câmara.

Em comunicado divulgado na rede interna da Câmara, a Diretoria-Geral informa que, a partir desta sexta-feira, todas as pessoas, inclusive servidores, jornalistas, prestadores de serviço, assessores parlamentares de órgãos públicos, visitantes e outros interessados em entrar na Casa terão de passar pelos pórticos de segurança instalados nas portarias e de enfrentar filas para inspeção de bolsas e mochilas.

Nesta quinta-feira  (5) manifestantes que estavam algemados, desde o último dia 28, a uma coluna no Salão Verde deixaram o local por determinação de Cunha.

O objetivo do grupo era pressionar o presidente da Câmara para acatar pedido de abertura de processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff.  Os manifestantes deixaram o acampamento pacificamente, embora tenham ameaçado resistir.

Ontem (4), houve tumulto entre manifestantes e parlamentares contra e a favor do impeachment e algumas pessoas chegaram a ser presas.

Também ontem, manifestantes contrários à permanência de Eduardo Cunha na presidência da Câmara lançaram sobre ele cédulas falsas de dólares. As cédulas traziam a foto de Cunha, que, na hora, dava uma entrevista coletiva. Novas prisões foram feitas.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir