Política

Cabeleireiro do PPL não vai ser candidato ao governo do AM; garante partido

A candidatura de Jardel foi uma manobra do PPL para não perder o prazo para o registro de candidaturas individuais | Reprodução

O cabeleireiro Jadelvoni Nogueira Deltrudes, o Jardel, do Partido Pátria Livre (PPL), não vai ser candidato ao Governo do Estado na eleição suplementar. É o que garante o presidente do partido no Amazonas, José Ribamar Campelo Aníbal. A informação da candidatura de Jardel, divulgada na tarde deste sábado (24) por veículos de comunicação, surpreendeu a população amazonense, porque o prazo para o registro de candidaturas coletivas encerrou no dia 19 deste mês.

A candidatura, apresentada por volta das 17h da tarde desta sexta-feira, é legal. O secretário judiciário do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), Waldiney Albuquerque, esclareceu que outro edital foi aberto com o prazo de 48 horas para o registro de candidaturas individuais, como é de praxe na Justiça Eleitoral, e que o candidato esteve na sede do TRE, acompanhado de outros quatro integrantes do PPL, para protocolar a candidatura.

“O registro de candidatura individual acontece quando o candidato, por contra própria, apresenta os documentos requeridos e solicita uma cadeira no pleito. Geralmente, o prazo para esse tipo de candidatura acontece depois do tempo estipulado para o registro coletivo”, explicou Waldiney.

Embora o nome de Jardel já esteja registrado no TRE, nada impede que o partido apresente um pedido para trocar o candidato. É exatamente o que o PPL pretende fazer.

“Nós vamos aproveitar este fim de semana para reunir com a diretoria do partido e chegar a um consenso a respeito dos nomes do PPL para as eleições suplementares”, declarou Ribamar, garantindo que o novo nome deve ser divulgado na tarde de segunda-feira (26).

A manobra do PPL foi lançar uma candidatura para não perder o prazo de registro e depois disso decidir um nome para concorrer ao Governo do Amazonas. O presidente do partido disse ainda que o registro de um candidato foi um pedido do diretório nacional, que quer aproveitar as eleições para divulgar o nome e os ideais do partido.

Jardel é empresário, dono de um salão de beleza e já foi candidato a vereador pelo PPL em 2012 | Reprodução

Apesar de engenhosa, a estratégia do partido corre riscos na avaliação do secretário judiciário do TRE, que afirmou que os responsáveis pela candidatura tem que apresentar motivos plausíveis para a troca dos nomes.

“Eles podem trocar normalmente, mas é preciso que essa troca seja aprovada por um juiz relator relator do TRE. Para isso é preciso que sejam apresentados motivos claros”, disse Waldiney.

Jardel já foi candidato a vereador e teve 1.148 votos em 2012. A vice, também provisoriamente registrada, é a advogada Fabiana Campos Silva Wilkens, também do PPL.

Outros oito candidatos foram registrados para a disputa da eleição suplementar. São eles: Amazonino Mendes (PDT), Eduardo Braga (PMDB), Marcelo Serafim (PSB), Luiz Castro (Rede), Liliana Araújo (PPS), Rebecca Garcia (PP), José Ricardo (PT) e Wilker Barreto (PHS).

Gabriel Costa
EM TEMPO

1 Comment

1 Comment

  1. Eduardo Campos

    28 de junho de 2017 at 16:42

    Vai sim!! Voto nele!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir