Cultura

Breves Cenas de Teatro anuncia os vencedores

 'O Coma'foi a escolha do público e 'Le sollo palhaço' foi um dos melhores para o júri- foto: divulgação/ Ingrid Anne


‘O Coma’foi a escolha do público e ‘Le sollo palhaço’ foi um dos melhores para o júri- foto: divulgação/ Ingrid Anne

Cinco cenas foram premiadas pelo júri e uma pelo público durante a sétima edição do Breves Cenas de Teatro. O festival contou com 12 montagens de todo o país e levou quase 4 mil pessoas dentro do Teatro Amazonas durante quatro dias de festival.

Para o diretor do Breves Cenas de Teatro, Dyego Monnzaho, a participação do público, que fez fila para entrar no Teatro em todos os dias, reafirma que o evento já está em contagem regressiva para a décima edição. “Somos um evento independente, mas que já faz parte do calendário da cidade. Primamos pela qualidade das cenas e pelo intercâmbio entre os artistas, duas características desde a primeira edição”, diz.

Formado por Márcio Braz (AM), Edgar Castro (SP) e Wellington Júnior (PE), o júri ressaltou que os 12 trabalhos apresentados comprovaram de forma contundente as infinitas possibilidades de processos criativos pautados em uma ética humanista. Para os jurados, as montagens apresentadas tinham em comum os princípios libertários com o objetivo de despertar a construção de uma sociedade mais justa. “Os cinco prêmios são o reconhecimento de vigorosas singularidades presentes nos grupos contemplados, reconhecimento este que passa longe de qualquer perspectiva comparativa entre os trabalhos. Nós, membros do corpo de jurados, acreditamos que cada um dos coletivos participantes do festival representa um valioso e insubstituível exército na trincheira contra o embrutecimento da humanidade”, diz a carta lida pelo júri, durante o encerramento, no último domingo.

O Amazonas concorreu com uma cena que foi vencedora do Prêmio Teatralidades Populares. A cena foi ‘Le Sollo Palhaço’ da Cia. Língua de Trapo. O Estado de Minas Gerais ganhou dois prêmios, foram eles: Prêmio Pesquisa de Linguagem com ‘Frágil’, de Maru Riveira; e Prêmio Teatro Como Guerrilha Poética com “Não conte comigo para proliferar mentiras”, de Igor Leal. Os cariocas levaram dois prêmios para casa, um deles foi Prêmio Dramaturgia da Cena por “O povo, o Rei e o Bufão do Rei”, da Multifoco Cia. De Teatro; e o Prêmio Corpo Coletivo para Maparipiaspas, da Creche na Coxia. O público deu o Prêmio Américo Alvarez de Melhor Breve Cena Júri Popular para ‘O coma’, para o grupo Teatral Loucatores, de São Paulo.

O 7º Festival Breves Cenas foi realizado pela H Produções, com patrocínio, via edital de cultura, da Caixa Econômica Federal e da Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir