Cultura

Breves Cenas de Teatro anuncia nomes de jurados

Edgar Castro vem de São Paulo a Manaus 30 anos depois de sua última visita à cidade - foto: divulgação

Edgar Castro vem de São Paulo a Manaus 30 anos depois de sua última visita à cidade – foto: divulgação

A 7ª edição do Breves Cenas de Teatro, que inicia nesta quinta-feira (26), com entrada gratuita, no Teatro Amazonas, terá três jurados: Márcio Braz (AM), Wellington Júnior (PE) e Edgar Castro (SP). Além de escolher os vencedores, eles são responsáveis por definir quais as categorias a premiação terá, um diferencial dos demais festivais.

Segundo o diretor do festival, Dyego Moonzaho, faz parte da característica do festival não ter categorias pré-definidas de premiação e, explica ele, cabe a cada jurado definir quem e que prêmio quer conceder no momento do seu julgamento. “Só haverá ‘melhor atriz’, por exemplo, se os jurados decidirem que haverá essa categoria. Essa é uma forma de premiar quem realmente se destacou. Esse é um sistema que deixa o júri livre para avaliar por qual ângulo que ele acha importante”, explica.

Os jurados são de diferentes Estados e têm um currículo de destaque no cenário das artes cênicas. Um dos jurados é o articulista do EM TEMPO, Márcio Braz. Amazonense, bacharel em ciências sociais pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam) com ênfase em sociologia da cultura, Braz é ator, gestor, diretor e pesquisador. Há 11 anos escreve críticas de teatro e dança, além de artigos com temas relacionadas à cultura e política, em jornais e revistas. O artista e gestor cultural é especialista em gestão e políticas culturais pela Universidade de Girona (Espanha) e Itaú Cultural (São Paulo). Atualmente, é diretor do Departamento de Políticas Culturais da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos de Manaus (ManausCult). “Interessante o debate acerca da recepção das cenas pelo público, acostumado à linguagem rápida da televisão e das ações cada vez mais eletrizantes do cinema. Será isto a fórmula do sucesso? Do ponto de vista dos criadores, há uma tendência à cena curta pensada, trabalhada e entendida como uma linguagem”, opina.

De São Paulo, virá o professor, ator e atual membro do Conselho Administrativo da Cooperativa Paulista de Teatro, Edgar Castro. O artista trabalhou com diretores como Antunes Filho, Roberto Lage e Samir Yazbeck. Foi integrante de importantes coletivos como Cia. do Latão, Cia. Livre, Cia. São Jorge de Variedades, Cia. dos Inventivos, entre outros. “É minha primeira vez no festival, estou muito honrado e feliz em participar e colaborar. Sou de Belém e estive em Manaus há pelo menos uns 30 anos, fui jurado uma única vez na minha carreira”, conta. Na área educacional, Edgar Castro também tem um currículo expressivo. Durante 4 anos, foi orientador da turma de iniciação da Oficina de Teatro do Tusp (Teatro da Universidade de São Paulo), lecionou na escola Livre de Teatro de Santo André de 1999 a 2011, tendo sido coordenador pedagógico da instituição. Ele também coordenou Teatro do Clac (Centro Livre de Artes Cênicas, em São Bernardo do Campo) e a 5ª Mostra Latino-Americana de Teatro de Grupo, entre outras atividades. “O encontro que um festival desse promove, uma troca de experiências estética, da forma de produção, do contexto que a criação se dá, é o grande trunfo de um festival. E esse formato é muito desafiador, me remeto muito ao conto que a literatura tem”, diz.

Outro jurado é o teórico do teatro, professor de teatro, crítico e pesquisador Wellington Júnior. Nascido em Pernambuco, ele é diretor artístico do grupo Máquina de Sonhos Cia. de Teatro. Vencedor do prêmio Minidrama da São Paulo Escola de Teatro em 2010, Wellington Júnior é organizador do livro “Memórias da Cena Pernambucana (Vol.1)” e idealizador e organizador do Seminário Internacional de Crítica Teatral (ao lado da Renascer Produções Culturais).

Festival

Realizada até domingo (29), a sétima edição do Breves Cenas terá 12 esquetes em competição, de gêneros diferentes e que têm no mínimo de quatro minutos e 49 segundos e, no máximo, de 15 minutos e um segundo para se apresentar.

O festival tem como objetivo o intercâmbio profissional e educacional, por meio de palestras e debates, com participação de artistas, diretores, professores, alunos e o público em geral. As atividades pedagógicas serão realizadas no dia seguinte a apresentação, no Casarão de Ideias. Toda a programação do festival é gratuita. O Breves Cenas é realizado pela H Produções, com patrocínio, via edital de cultura, da Caixa Econômica Federal e da Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

Exatas 91 cenas foram inscritas durante o período de seleção, de todas as regiões do país. Além das 12 cenas que estão na programação oficial, outras cinco foram classificadas como suplentes. “É a maior quantidade de inscritos na história do festival”, diz o diretor do evento, Dyego Monnzaho.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir