Esportes

Brasil tem dia com quatro medalhas no Mundial Paralímpico de Atletismo, em Doha

O Brasil conquistou mais quatro medalhas neste sábado (24), no terceiro dia do Mundial Paralímpico de Atletismo, em Doha, no Catar. Gustavo Araújo foi prata nos 100m (T13), e Claudiney Batista (lançamento de dardo, F57), Izabela Campos (lançamento de disco, F11) e Jonathan Santos (arremesso de peso, F41) ficaram com o bronze nas respectivas provas.

O país ocupa a 13ª posição no quadro de medalhas, com um ouro, quatro pratas e quatro bronzes – nove no total.

O mineiro Gustavo Aráujo foi o primeiro medalhista do dia. Ele fez uma prova parelha com o rival irlandês Jason Smyth, considerado o paralímpico mais veloz do planeta. No fim, vantagem ao europeu, que correu os 100m da classe T13 (baixa visão) em 10s62 – contra 10s90 do brasileiro.

“Não foi exatamente o que eu esperava, porque não corri tão solto. Mas a prata está aí e é uma etapa importante para a Rio-2016. Tenho de respeitar o irlândes, que é um grande corredor, mas posso dizer que esta foi a última vez que ele chegou à minha frente. Não vai haver mais moleza, não!”, disse Gustavo, que é radicado e treina em Presidente Prudente, no interior de São Paulo.

A prova de Claudiney, por sua vez, teve contornos de suspense. O bronze só foi garantido na última rodada. Após ser ultrapassado pelo senegalês Youssoupha Diouf, o brasileiro obteve sua melhor performance, com 41,70m, para assegurar o lugar no pódio. O sírio Mohamad Mohamad foi segundo, com 41,85m, enquanto o iraniano Mohammad Khalvandi ficou com o ouro, com 43,76m.

“A emoção serve para aumentar ainda mais a adrenalina na hora da prova. Ainda bem que consegui no último lançamento melhorar a minha marca, mas o vento contrário atrapalhou um pouco a prova, tanto que nenhum dos favoritos melhorou o resultado”, disse o atleta de 36 anos.

A terceira medalha veio com Izabela Campos. Apesar de forte concorrência das atletas da China, que fizeram a dobradinha e ficaram com o ouro e a prata, a mineira de Belo Horizonte conseguiu garantir o terceiro lugar ao registrar 29,95 em seu segundo lançamento do disco.

“Saio daqui muito satisfeita e feliz com o resultado. Meu objetivo era o segundo lugar, mas vou trabalhar para que consiga alcançar meus objetivos mais adiante. A prova foi tranquila e saio com a experiência necessária para treinar ainda mais”, afirmou Izabela Campos.

Jonathan Santos completou a quadra brasileira de medalhas. Apesar de não ser sua prova favorita, o arremesso de peso (F11) lhe trouxe boas lembranças neste Mundial. Ele ficou com o bronze ao conseguir 12,32m. “Foi maravilhoso. Estou crescendo ainda nesta disputa e a minha evolução não acabou. Minha prova sempre foi o disco, mas infelizmente não houve disputa aqui em Doha. Venho focando no arremesso de peso para o Rio-2016 e pude chegar a terceiro do mundo”, disse.

A campanha verde e amarela tem sequência neste domingo, 25. Será a vez de Alan Fonteles entrar na pista a fim de defender o título mundial dos 200m rasos, classe T44. Terezinha Guilhermina e Jhulia Karol lutam por medalhas nos 200m, classe T11, assim como Yohansson Nascimento, nos 200m T47. Petrúcio Ferreira correria também na prova de Yohansson, mas voltou a sentir uma lesão na coxa direita e está fora do Mundial.

O Mundial Paralímpico de Atletismo está sendo disputado por 1.315 atletas (incluindo atletas-guia) de 88 países. A competição ocorre até o dia 31 de outubro, em Doha, no Catar.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir