Esportes

Brasil pressiona, mas não sai do zero a zero com a África do Sul na despedida da Arena na Rio 2016

BRASIL-E-AFRICA-DO-SUL-002 Foto Ricardo Oliveira (1)

Mesmo empatando na Arena da Amazônia, o Brasil avança para a segunda fase do futebol feminino na Rio 2016 – fotos: Ricardo Oliveira

Quem foi para a Arena da Amazônia Vivaldo Lima na esperança de ver mais uma exibição de gala da seleção brasileira feminina, se decepcionou. Com Marta entrando apenas no segundo tempo, o time canarinho não passou de um empate sem gols com a África do Sul. A partida marcou a despedida do estádio amazonense dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Com sete mudanças em relação ao time que começou a partida diante da Suécia na última rodada, em que o Brasil ganhou por 5 a 1, no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro, os 38.415 torcedores presente na Arena tiveram de se contentar com a craque Marta por apenas 45 minutos dentro de campo e assistiram a uma seleção que criou várias chances de gol, mas parou em noite inspirada da goleira sul-africana, Barker.

Com o empate, a seleção brasileira avançou às quartas de final em primeiro lugar no grupo E, com sete pontos conquistados. Já na sexta-feira (12), às 21h (de Manaus), no estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG), as comandadas do técnico Vadão encaram a Austrália. Já a África do Sul, se despede dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro com apenas um ponto de nove possíveis.

BRASIL-E-AFRICA-DO-SUL-002 Foto Ricardo Oliveira (2)

O Brasil pressionou até o último minuto, mas a rede da Arena da Amazônia não foi balançada pela equipe canarinho feminina – foto: Ricardo Oliveira

O jogo

Apesar de todas as modificações, o Brasil começou a partida melhor. No embalo da torcida, chegou pela primeira vez aos cinco minutos. Andressinha encontrou Andressa Alves dentro da grande área. Ela dominou, mas finalizou sem força e a goleira sul-africana ficou com a bola.

A resposta da África do Sul veio três minutos depois. Seoposenwe fez belo lançamento para Kgatlana. Ela saiu cara a cara com Aline, que evitou o primeiro gol do jogo.

A partida ficou equilibrada e pegada no meio de campo. O Brasil tentava as infiltrações pelo meio, enquanto a África buscava as descidas para o ataque em velocidade. Aos 24 minutos, Tamires recebe passe na intermediária e chutou forte para o gol, obrigando Barker a fazer uma boa defesa e botar a bola para escanteio.

Aos 29, o Brasil chegou mais uma vez. Após boas trocas de passes em frente a área da África, Erika rolou bola para o meio. Desequilibrada, Raquel tentou a finalização, mas sem perigo ao gol adversário. Nos minutos seguintes, a seleção continuou tentando, mas em chutes fracos, de longa distância, sem dificuldades para Barker.

Com o jogo totalmente controlado, a seleção brasileira passou a dominar as ações dentro de campo. Aos 38 minutos, veio o lance de maior perigo. Debinha recebeu na entrada da área e arriscou chute de esquerda. A bola bateu na trave e a defesa sul-africana afastou o perigo.

BRASIL-002 Foto Ricardo Oliveira

Segundo tempo

Com Marta em campo no lugar de Tamires para delírio da torcida na Arena da Amazônia, o Brasil iniciou a segunda etapa insistindo nas jogadas pelo meio. O primeiro lance de perigo, porém, só surgiu aos dez minutos, e em um cruzamento na área, de Erika para Bruna, que testou fraco, nas mãos de Barker.

Pouco inspirada, a seleção brasileira não conseguia criar chances claras de gols, apesar de aparecer com várias jogadoras no campo de ataque. Aos 18 minutos, Marta recebeu na esquerda, avançou e tentou cruzamento. A bola passou com perigo por cima da meta defendida por Barker.

Melhor jogadora da partida, Kgatlana era a principal arma da África do Sul. Aos 24 minutos, ela recebeu passe na entrada da área do Brasil e chutou forte. Aline se esticou toda e com as pontinhas dos dedos colocou para escanteio.

Aos 31 minutos, o Brasil voltou a aparecer na partida. Após cobrança de escanteio de Marta, Erika subiu sozinha na grande área, livre de marcação, mas testou à direita da meta defendida por Barker.

Seis minutos depois, Fabiane, que havia entrado no lugar de Thaisa poucos segundos antes, recebeu belo lançamento dentro da área, mas na hora de definir parou na arqueira sul-africana.

Na empolgação da torcida, o Brasil partiu para cima nos minutos finais. Aos 43, Raquel recebeu na grande de área de frente para Barker. Ele tentou colocar por cima da goleira sul-africana, que conseguiu desviar e botar a bola para escanteio.

FICHA TÉCNICA

ÁFRICA DO SUL 0x0 BRASIL

LOCAL: Arena da Amazônia Vivaldo Lima, em Manaus (AM)

ÁRBITRA: Stephanie Frappart (França)

ÁFRICA DO SUL: Barker; Vilakazi, Matlou, Wik; Makhabane, Malherbe, Mothalo, Jane, Smeda; Seoposenwe e Kgatlana. Técnica: Vera Pauw

BRASIL: Aline; Poliana, Bruna, Monica, Tamires; Thaisa, Erika; Debinha, Andressinha, Raquel e Andressa Alves. Técnico: Vadão

Por André Tobias

1 Comment

1 Comment

  1. Justo Severo

    10 de agosto de 2016 at 07:29

    Graças a deus acabou o transtorno em Manaus…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir