/* */
Dia a dia

Braga anuncia estar a disposição do partido para ser pré-candidato ao governo do AM

Senador falou sobre incentivos fiscais, convenção partidária e mudanças no Estado – Fotos: Michael Dantas

O senador Eduardo Braga (PMDB) deixou claro que se seu partido desejar, será o candidato a legenda nas eleições suplementares para o Governo do Estado, em agosto. O anúncio foi feito durante entrevista ao programa Agora, da TV EM TEMPO, nesta sexta-feira (19).

“Posso discutir, olho no olho, questões de pessoas que cometeram crimes e tentam imputar a culpa sobre pessoas de bem. Eu quero disputar (as eleições) para ajudar o Amazonas; para tirar o Amazonas da UTI e para mostrar a minha vida a muitos que não me conhecem. Hoje tenho quase 57 anos. Muita gente conhece a minha vida, mas quem tem 17, 18 anos ainda não conhece a minha história; não conhecem as empresas que geraram milhares de empregos nessa cidade e que ajuda o desenvolvimento do meu Estado. É com essa verdade que gostaria de me colocar como candidato”, afirmou o senador.

A convenção partidária do PMDB está prevista para ocorrer no dia 16 de junho. Somente após essa data, o senador pode falar como candidato, com suas propostas para cuidar do Estado.

Senador aguarda convenção do PMDB para falar sobre campanha eleitoral

“Está na hora de deixarmos de lado a vaidade, o orgulho bobo, darmos as mãos e salvarmos o nosso povo. O governo anterior abandonou o interior do Amazonas”, defendeu Braga.

Recursos

Saindo do foco das eleições, o senador aproveitou a entrevista para anunciar a aprovação de um recurso de R$ 52 milhões no Senado para a construção de creches e escolas na cidade de Manaus. Além disso, Braga disse estar empenhado em colocar a Medida Provisória 757/16, que institui novas taxas para a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).

A MP passou na Câmara no último dia 15 de maio e precisa ser aprovada pelo Senado até o próximo dia 2 de junho para não perder a validade.

Se aprovada pelos senadores, a MP 757 cria a Taxa de Controle Administrativo e Incentivos Fiscais e a Taxa de Serviços. Essas duas novas tributações devem gerar aproximadamente R$ 300 milhões em arrecadação para a Suframa ao ano, segundo estimou Eduardo Braga.

Segundo o senador, a medida traz de volta à Suframa, a capacidade de fazer convênios com Estados e prefeituras da capital e do interior do Amazonas, do Acre, Roraima, Rondônia e Amapá, o que ajudaria o desenvolvimento regional.

Laize Minelli
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir