Esportes

Botafogo joga mal e perde para o lanterna em duelo com chuva e apagão

A chuva fez todo mundo escorregar e cair no Horto, mas mesmo assim o América-MG se deu bem e bateu o Botafogo por 1 a 0, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro.


O único gol foi marcado por Jonas, que aproveitou cruzamento de Ernandes para balançar a rede.

A partida na Arena Independência, em Belo Horizonte, foi prejudicada pelas condições climáticas e pelo apagão que deixou o estádio e região no escuro por 13 minutos.

O resultado mantém o time alvinegro na nona posição, com 38 pontos. Já os mineiros ainda amargam a lanterna isolada, mas alcançaram a marca dos 21 pontos e agora se aproximam do Santa Cruz, penúltimo colocado com 23 pontos e um jogo a menos.

O Botafogo terá um desafio importante no próximo sábado em embate contra o Corinthians, quinto colocado na tabela. A partida será disputada a partir das 16h30 (de Brasília) no estádio Luso-Brasileiro, no Rio. O América-MG, por sua vez, visita o Coritiba na segunda (03), no Couto Pereira.

Início sonolento

O palco do confronto pode até ser conhecido como caldeirão, mas o calor passou longe do gramado no início do jogo. Mostrando limitação em seus setores de criação, as duas equipes apostaram muito em longos lançamentos pelo alto e viram os zagueiros afastarem o perigo repetidas vezes. Na melhor oportunidade do primeiro tempo, Neilton tentou jogada individual pela esquerda e finalizou fraco de fora da área, facilitando a defesa de Fernando Leal.

Caiu no Horto

A chuva em Belo Horizonte não deu trégua ao primeiro tempo. A drenagem da Arena Independência fez o que pôde, mas a intensidade da água deixou o campo encharcado para duas equipes que já pareciam não ter interesse em colocar a bola no chão. O que se viu foi uma longa sequência de erros e escorregões, como as quedas de Emerson ao mandar um balão para o ataque e de Neilton ao tentar o domínio. Afastando a mesma jogada, Ernandes também foi à grama.

Apagou, mas melhorou

Se o ritmo de jogo já não era muito aceso desde o início, tudo piorou aos 29 minutos do primeiro tempo, quando houve queda de energia no estádio e nos bairros mais próximos ao Horto. O auxiliar Emerson Augusto de Carvalho chegou a admitir a possibilidade de remarcarem a partida para o domingo, mas os refletores voltaram a funcionar 13 minutos depois. Como os males que vêm para bem, a paralisação fez bem ao jogo: enquanto o América-MG chegou ao ataque com Matheusinho e Leandro Guerreiro, o Botafogo alega que a bola teria cruzado a linha do gol após cruzamento de Emerson aos 31. A torcida reclamou, mas a arbitragem negou o tento. A luz falhou mais uma vez aos 40, mas Luiz Flavio de Oliveira não voltou a parar o duelo.

Chapéu e casaco

O Botafogo não produzia com eficiência no ataque, mas Airton garantiu um lance de plasticidade aos 40 minutos do primeiro tempo. Tentando desafogar o jogo ainda muito restrito ao meio-campo, o volante aplicou um chapéu seguido de toque de trivela. Lance bonito, embora pouco produtivo.

Chamou a torcida

A frieza do jogo resultava em frieza nas cadeiras da Arena Independência. O problema foi levemente resolvido aos oito minutos do segundo tempo, quando o garoto Matheusinho, de 18 anos, aplicou um belo drible sobre o zagueiro Emerson Silva e, empolgado com a reação da torcida, arriscou um chute forte e exigiu intervenção de Joel Carli.

Placar modesto

A redenção para o América-MG e para o próprio jogo veio aos 19 minutos do segundo tempo. Aproveitando bom cruzamento rasteiro de Ernandes no segundo pau, Jonas tocou com o pé direito para vencer Sidão e balançar a rede. O lance contou com falha defensiva de Neilton, que era o atleta do Botafogo mais perto do autor do gol.

Curiosamente, o lateral do América-MG marcou três gols nos últimos quatro jogos: também ajudou o time contra Ponte Preta e Figueirense.

Ficou no quase

A arbitragem apontou quatro minutos de acréscimo na etapa final e renovou as esperanças do Botafogo, que disparou ao ataque como ainda não havia feito na partida. Em sequência de bolas rebatidas na área aos 47, Rodrigo Pimpão perdeu a chance de igualar o marcador após toque de Bruno Silva. Gervasio ainda cruzou para Canales, mas a marcação cortou. Nos segundos finais, o goleiro Sidão ainda tentou o cabeceio na área, mas não conseguiu o empate.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir