Dia a dia

Bolsa Idiomas da Prefeitura oferta mais de 10 mil vagas para inglês e espanhol

Serão oferecidas bolsas integrais (100%) e parciais (75% e 50%) em oito escolas de idiomas da cidade - foto: divulgação

Serão oferecidas bolsas integrais (100%) e parciais (75% e 50%) em oito escolas de idiomas da cidade – foto: divulgação

Estudantes de baixa renda interessados em cursar inglês ou espanhol já podem se candidatar a concorrer a uma bolsa de estudos. A Prefeitura de Manaus divulgou nesta quarta-feira (27) edital do Programa Bolsa Idiomas (PBI). As inscrições serão feitas pela internet a partir de hoje no site http://portalespi.manaus.am.gov.br/ e vão até o as 23h59 do dia 14 de fevereiro. Do total de vagas disponíveis, o município reserva 5% a pessoas com deficiência.

O documento, concebido pela Escola de Serviço Público Municipal e Inclusão Socioeducacional (Espi), traz os requisitos necessários para a ocupação das 10 mil vagas que serão oferecidas, e que estão divididas em bolsas integrais (100%) e parciais (75% e 50%) em oito escolas de idiomas da cidade.

São elas: Yes Idiomas, Aslan, Instituto Cultural Brasil Estados Unidos (ICBEU), My Way Idiomas e Inglês e Companhia, além das Instituições de Ensino Superior (IES) Nilton Lins, Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi) e Faculdade Salesiana Dom Bosco (FSDB), que também contam com cursos de línguas estrangeiras.

De acordo com a Espi, órgão que gerencia os programas de inclusão socioeducacional da Prefeitura de Manaus, as bolsas contemplam, além das mensalidades, a taxa de matrícula e material didático por todo o tempo de duração do benefício.

Para participar do Programa Bolsa Idiomas, os candidatos devem atender os seguintes critérios, especificados no edital: ser residente na cidade de Manaus, ter idade igual ou superior a 16 anos, estar cursando ou já ter finalizado o Ensino Médio e não ser beneficiário de programa similar mantido pelo poder público.

Além disso, os estudantes interessados não podem possuir renda familiar per capita superior a um salário mínimo e meio, ou seja, o equivalente a R$ 1.320. E, assim como acontecem nos demais programas como Bolsa Universidade (PBU) e Pós-Graduação (PBPG), os estudantes, se contemplados, precisarão firmar compromisso de desenvolver atividades de contrapartida, sem ônus para o município.

Cálculo de renda

Para calcular a renda e saber se está em condições de concorrer a uma bolsa municipal, o estudante interessado precisa levar em conta o número de pessoas, sendo familiar ou não, que habitam a mesma residência, incluindo ele próprio.

Em seguida, precisa somar os rendimentos como salários, pensões, proventos, entre outras fontes, de todos os integrantes da habitação e dividir pelo número de habitantes. O resultado do cálculo, que é a média dos rendimentos, representa a renda familiar per capita. Este valor, de acordo com a Espi, não pode ultrapassar a faixa dos R$ 1.320.

Para efeitos de renda, de acordo com o edital do PBI, o candidato deve considerar quaisquer fontes de recursos, o que incluem “salários, proventos, pensões, pensões alimentícias, benefícios de previdência pública ou privada, comissões, prolabore, rendimentos do trabalho não assalariado, rendimento do mercado informal ou autônomo, rendimentos recebidos do patrimônio e renda mensal vitalícia”.

Após a etapa de inscrições, a Espi fará o cruzamento e análise dos dados, entre os dias 15 e 16, e divulga, já no dia 17, o resultado da primeira chamada do programa. Os estudantes habilitados nesta fase, ou seus responsáveis legais deverão comparecer à sede da Escola para fazer a entrega de documentos comprobatórios, etapa prevista para acontecer nos dias 25 e 26 de fevereiro.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir