Economia

Bolsa e dólar operam quase estáveis com cenário externo indefinido

O dólar tem desempenho misto frente às principais moedas - foto: divulgação

O dólar tem desempenho misto frente às principais moedas – foto: divulgação

As Bolsas globais não mostram uma direção clara nesta sexta-feira (22), e operam próximas à estabilidade. O petróleo recua, e o dólar tem desempenho misto frente às principais moedas.

No Brasil, a Bolsa oscila entre pequenas altas e baixas. “Estamos estacionados há três pregões nos atuais patamares de preço enquanto investidores aguardam motivos para alguma realização mais forte ou nova rodada de otimismo”, escreve a equipe de análise da Lerosa Investimentos, em relatório.

A moeda americana também opera quase estável, apesar de mais uma ação do Banco Central no câmbio. Os juros futuros e o CDS (credit default swap) brasileiro, outro indicador de percepção de risco, também têm pequenas variações.

O Ibovespa subia há pouco 0,17%, aos 56.736 pontos. As ações da Petrobras perdiam 0,33%, a R$ 11,81 (PN), e 0,86%, a R$ 13,68 (ON), reagindo à queda do petróleo no mercado internacional.
Os papéis da Vale caíam 1,99%, a R$ 13,76 (PNA), e 3,44%, a R$ 16,80 (ON), pressionados pelo recuo do minério de ferro na China.

No setor financeiro, Itaú Unibanco PN subia 0,38%; Bradesco PN, -0,14%; Banco do Brasil ON, -0,47%; Santander unit, -0,20%; e BM&FBovespa ON, +0,25%.
CÂMBIO E JUROS

A moeda americana à vista avançava 0,2%, a R$ 3,286; o dólar comercial ganhava 0,12%, a R$ 3,287.

O Banco Central leiloou pela manhã 10.000 contratos de swap cambial reverso, equivalentes à compra futura de dólares, no montante de US$ 500 milhões.

Com a operação, o BC reduziu seu estoque de swap cambial tradicional, que corresponde à venda futura da moeda americana, para US$ 55,135 bilhões.

No mercado de juros futuros, os DIs têm poucas variações, após terem subido na véspera, quando se ajustaram à percepção de que a taxa básica de juros (Selic) deve demorar mais para cair.

O contrato de DI para janeiro de 2017 operava estável, a 13,945%; o contrato de DI para janeiro de 2021 subia de 11,970% para 12,000%.

O CDS brasileiro de cinco anos, espécie de seguro contra calote, tinha alta de 0,14%, aos 289,209 pontos.

EXTERIOR

Na Bolsa de Nova York, o índice S&P 500 subia 0,22%; o Dow Jones, -0,03%; e o Nasdaq, +0,23%.
As ações da General Electric caíam cerca de 2% após a companhia reportar vendas menores nas áreas de locomotivas e equipamentos de petróleo.

A Bolsa de Londres subia 0,42%; Paris, +0,06%; Frankfurt, -0,04%; Madri, +0,37%; e Milão, -0,14%. Os investidores digeriam os dados de atividade mais fracos na zona do euro e no Reino Unido.

Na Ásia, os investidores reagiram às declarações do presidente do banco central do Japão na véspera. Haruhiko Kuroda descartou a possibilidade de lançamento de medidas de estímulos monetários mais agressivas.

Em Tóquio, o índice Nikkei recuou 1,09%. Na China, o índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, teve queda de 0,84%, enquanto o índice de Xangai recuou 0,87%.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir