Economia

Bolsa cai 2,7% com exterior e espera por medidas de Meirelles; dólar sobe

. O dólar à vista terminou com valorização de 1,12%, a R$ 3,51- foto: divulgação

O dólar à vista terminou com valorização de 1,12%, a R$ 3,51 – foto: divulgação

O Ibovespa fechou em forte baixa nesta sexta-feira (13), com o aumento da aversão global ao risco e acompanhando a piora na Bolsa de Nova York. As commodities recuaram, e o dólar se valorizou globalmente. No final do pregão, a moeda americana subiu para o patamar de R$ 3,52.

Dados fortes de vendas no varejo americano em abril reacenderam as especulações que o Fed (Federal Reserve, o banco central dos EUA) poderá subir os juros mais rápido que o esperado.

Quanto ao cenário político, os investidores aguardam medidas concretas da equipe econômica do presidente interino Michel Temer.

Em entrevista coletiva, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que fará uma análise das contas do governo antes de anunciar medidas. Ele afirmou ainda que o novo presidente do Banco Central será conhecido na próxima segunda-feira (16).

“O mercado esperava que alguma ação fosse anunciada hoje pelo novo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, embora fosse muito cedo para que isso ocorresse”, comenta o analista Alexandre Soares, da corretora BGC Liquidez.

“Na ausência de medidas de impacto, e com o cenário desfavorável para emergentes, os investidores aproveitaram a sexta-feira para embolsar os lucros obtidos durante a euforia que antecedeu o afastamento da presidente Dilma Rousseff”, comenta um operador.

Em meio à cautela no mercado, os juros futuros encerraram a sessão em alta.

Bolsa

Após recuar mais de 3% durante o pregão, o principal índice da Bolsa paulista fechou em baixa de 2,7%, aos 51.804,31 pontos. Foi a maior queda percentual desde 4 de abril deste ano (-3,52%). O giro financeiro somou R$ 7,5 bilhões.

Na semana, o Ibovespa ganhou 0,17%; no ano, acumula alta de 19,50%.

Pressionadas pela queda do petróleo no mercado internacional, as ações PN da Petrobras recuaram 3,37%, a R$ 9,46, e as ON caíram 4,64%, a R$ 12,12. Na véspera, a companhia anunciou um prejuízo de R$ 1,246 bilhão no primeiro trimestre deste ano.

Os papéis PNA da Vale perderam 5,40%, a R$ 12,07, e os ON, -4,92%, a R$ 12,68, seguindo a queda do minério de ferro na China.

No setor financeiro, Banco do Brasil ON recuou 2,71%; Itaú Unibanco PN, -3,76%; Bradesco PN, -4,04%; Santander unit, -4,76%; e BM e FBovespa ON, -1,88%.

Dólar e Juros

Mesmo sem ação do BC no mercado de câmbio nesta sexta-feira, o dólar comercial fechou em alta de 1,46%, a R$ 3,5240. O dólar à vista terminou com valorização de 1,12%, a R$ 3,5105.

A moeda americana avançou praticamente em quase todos os mercados nesta sexta-feira. O movimento foi impulsionado por dados de vendas do varejo nos EUA em abril acima do esperado.

O Departamento do Comércio americano informou que as vendas no varejo cresceram 1,3% no mês passado, o maior aumento desde março de 2015. Segundo a agência Bloomberg, a média das estimativas de analistas era de uma alta de 0,8%.

Os fortes números foram a senha para que voltassem as especulações de alta dos juros americanos mais cedo que o previsto.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir