Cultura

Boicote ao Oscar é ‘racismo contra os brancos’, diz indicada a melhor atriz

A atriz também rejeitou a ideia, proposta por Lee, de estabelecer cotas a minorias na premiação - foto: divulgação

A atriz também rejeitou a ideia, proposta por Lee, de estabelecer cotas a minorias na premiação – foto: divulgação

A atriz britânica Charlotte Rampling, 69, indicada ao Oscar de melhor atriz por “45 anos”, disse nesta sexta-feira (22) que o protesto do diretor Spike Lee contra a falta de diversidade entre os concorrentes às estatuetas é “racista contra os brancos”.

“Não dá para saber, mas talvez alguns atores negros não merecessem estar na reta final”, afirmou à rádio francesa Europe 1.

A atriz também rejeitou a ideia, proposta por Lee, de estabelecer cotas a minorias na premiação. “Por que classificar as pessoas?”, questionou.

“Sempre haverá alguém para dizer: ‘Você é negro demais, branco demais, bonito demais…’ Vamos classificar todos para criar minorias em toda a parte?”

Este é o segundo ano consecutivo que a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas não inclui atores negros entre os concorrentes ao prêmio. Após o anúncio da lista de nomeados deste ano, a hashtag #OscarsStillSoWhite (Oscar ainda muito branco) começou a circular na internet.

O movimento ganhou força quando Lee (“Malcom X”, “Faça a Coisa Certa”, ambos sobre conflitos raciais nos EUA) anunciou, em um texto publicado no Facebook na segunda (18), que não irá à premiação em 28 de fevereiro. “Nós não podemos apoiar isso”, escreveu.

No “Good Morning America”, o cineasta, que recebeu um Oscar honorário em novembro do ano passado, negou nesta quarta (20) ter convocado um boicote à cerimônia. Mas sua atitude ecoou entre os membros da mais poderosa indústria cinematográfica do mundo e, desde o início da semana, outras estrelas têm demonstrado apoio ao protesto.

Spike Lee

Will Smith, que era cotado a uma indicação por “Um Homem entre Gigantes” mas não entrou na lista, se juntou a sua mulher, Jada Pinkett, e ao diretor de documentários Michael Moore ao optar por também não comparecer à cerimônia.

Mark Ruffalo, que concorre na categoria melhor ator coadjuvante por “Spotlight”, e George Clooney, vencedor de dois Oscar, declararam apoio à iniciativa, apesar de não anunciarem boicote.

A presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos EUA, Cheryl Boone Isaacs, que é negra, se disse “triste e frustrada” pela situação, em um comunicado divulgado na terça (19).

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir