Economia

Black Friday espera vender quase R$ 1 bilhão pela internet

As vendas do comércio eletrônico durante a Black Friday (dia dedicado a promoções no comércio) devem subir de R$ 872 milhões, em 2014, para R$ 978 milhões neste ano, uma alta de 12%. O evento será realizado em 27 de novembro.

O percentual representa uma desaceleração frente a anos anteriores: em 2014, a alta foi de 24%, em relação a 2013.

A previsão é da ClearSale, que verifica e faz autenticação de 85% das compras feitas na internet durante o evento -entram nesse cálculo apenas produtos que envolvem entrega (o que exclui passagens aéreas, por exemplo).

A consultoria E-bit contabiliza R$ 1,2 bilhão em vendas de 2014 e, para este ano, R$ 1,5 bilhão. Neste caso, a conta inclui vendas realizadas na quinta-feira e produtos que não são físicos, como passagens aéreas.

Segundo Pedro Chiamulera, diretor da ClearSale, o ritmo menor não responde apenas à crise econômica, mas também à saturação do evento: enquanto a Black Friday era novidade, o número de consumidores crescia absorvendo uma parcela importante das compras de final de ano, o que fez com que o pico das vendas do e-commerce fosse transferido do dia 18 de dezembro para o dia da Black Friday.

MP do bem vale na Black Friday

Juliano Motta, diretor-geral do site Busca Descontos, responsável pelo site blackfriday.com.br, ressalta que o setor de comércio eletrônico continuará a se beneficiar da medida provisória 690, a “MP do Bem”, que desonera a tributação sobre eletrônicos.

Com previsão para deixar de valer, inicialmente, no dia 1º de dezembro, ela foi prorrogada até fevereiro por meio de ato publicado no Diário Oficial no dia 21 de outubro.

Caso fosse extinta em dezembro, vendas da Black Friday com nota emitida em dezembro, assim como as vendas de Natal, deixariam de se beneficiar do IPI reduzido -um prejuízo que seria ampliado pelos descontos concedidos.

Segundo o site Reclame Aqui, em 2014 consumidores apontaram maquiagem de preços e de dificuldades de continuar a compra depois que o produto foi adicionado ao carrinho da loja virtual, além de problemas como lentidão nos sites e preços de fretes que anulavam grande parte dos descontos.

Para este ano, o site pretende ter selos para destacar as empresas que se saem bem. Elas poderão ser classificadas como “ótimo”, “bom”, “RA1000” (excelente) com base na reputação obtida junto aos consumidores nos últimos seis meses.

“A empresa tem que informar ao consumidor que o estoque não é infinito e que está esgotado”, diz Maurício Vargas, presidente do Reclame Aqui, sobre o tipo de medida que as companhias devem tomar para receber o selo. Durante o evento, o site terá 30 pessoas de plantão, 15 delas para verificar reclamações.

Com isso, espera ajudar a diminuir problemas de preços, que fizeram com que a Black Friday ficasse conhecida por “preços pela metade do dobro”.

Foram mais de 12 mil reclamações no total. A loja que liderou o ranking foi o site americanas.com, com 1.221 reclamações, seguida por Submarino (1.100), Saraiva (682), Shoptime (235) e KaBuM! (197). Em 2015, o Reclame Aqui espera receber acesso de 1,5 milhão de usuários.

Segundo Ricardo Ramos, fundador do Precifica, que presta serviços para empresas melhorarem o cálculo de seus preços, um dos motivos para os altos preços de fretes em 2014 -em alguns casos, maiores do que o preço da mercadoria comprada- foi a inflação das transportadoras conforme o número de encomendas explodia.

O site mantém durante a Black Friday um serviço que acompanha em tempo real a variação dos preços médios dos produtos e também por vendedor, que pode ajudar o consumidor a se basear na hora de fazer as compras.

Black Marketing

Conforme o evento, que chegou em 2010 ao Brasil, se fixa no calendário do varejo, a data se torna vitrine não só para vendas, mas para a fidelização de clientes no comércio eletrônico.

Em 2014, o site de venda de calçados Netshoes lançou o Black November, mês que mistura campanha de publicidade e descontos que respondeu por 25% do faturamento anual da companhia, segundo Bruno Couto, diretor de comunicação da empresa.

A empresa espera repetir o resultado neste ano e deve aproveitar o mês para intensificar o marketing ao redor de um novo site ligado à Netshoes, o Zattini, focado na venda de roupas.

Ele espera usar o evento para ampliar a carteira de clientes. Em 2014, a Netshoes aumentou 170% o número de cadastros, 82% o número de acessos e 250% a receita -a empresa não revela, no entanto, os valores. O evento também servirá para lançar um centro de distribuição em Minas Gerais.

Empresas participantes

Até este momento, estão confirmadas para participar da Black Friday, segundo a organização do evento:

Azul, Authentic Feet, Best Day, Chevrolet, Colombo, CVC, Dell, Empório da Cerveja, Hering, Hotel Urbano, HP, Marisa, Mercado Livre, Muffato.com, Nespresso, Netfarma, O Boticário, Privalia, Pompéia, quem disse, berenice?, Saraiva, e Walmart.com.

Com informações da assessoria de comunicação

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir