Esportes

Bernardinho não quer que seleção vá à abertura da Rio-2016

A maior delegação brasileira em uma cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos deve sofrer algumas baixas a poucas horas da festa desta sexta (5), que começa às 20h.


O COB (Comitê Olímpico do Brasil) projeta que 180 atletas, de 25 modalidades, estarão no desfile de abertura. Ao todo, serão cerca de 360 brasileiros encerrando a passagem de 206 nações no campo do Maracanã.

No entanto, a seleção masculina de vôlei tem um dilema a resolver. O técnico Bernardinho não gostaria que os jogadores fossem à cerimônia. Um problema era que o COB havia indicado o campeão olímpico Serginho para ser porta-bandeira da delegação.

O líbero acabou perdendo uma votação popular para Yane Marques, do pentatlo moderno, que conduzirá a bandeira nacional no desfile.

Na véspera da cerimônia, Serginho está decidido a não ir. Mas a equipe ainda se divide sobre a possibilidade de participar da festa.

O problema é o tempo estimado entre a saída e o retorno dos atletas á Vila Olímpica pode chegar a quase oito horas.

O último ônibus da delegação brasileira a sair da residência dos atletas, técnicos e oficiais que fica na Barra da Tijuca está prevista para ocorrer por volta das 17h30. A festa começa às 20h e deve durar 3 horas. Até os 12 mil participantes retornarem para os ônibus e estes chegarem à vila de volta, já será madrugada. O trajeto entre o Maracanã e a Barra dura cerca de uma hora.

“Não gostaria que eles fossem. Mas vou entender se forem. Fomos aconselhados a não ir. Jogadores com problema físicos não irão. Me preocupa muito a dinâmica da coisa, quem já foi, sabe o quanto cansativo é. Quem quiser ir tem a responsabilidade de no outro dia de manhã treinar e treinar bem”, afirmou Bernardinho.

O técnico da seleção participou de uma cerimônia de abertura olímpica apenas em sua estreia como jogador pela seleção, em Moscou-1980.

Depois, ele não participou das festas em Los Angeles-1984, ainda como jogador, nem dos últimos seis Jogos, já como técnico das seleções feminina e masculina.

O líbero Serginho, na sua quarta Olimpíada, já decidiu que não vai participar.

“Não quero ir. Se fosse uma ou duas horas, mas são umas sete horas. Não consigo ficar em pé tanto tempo. Em Pequim-2008, deitei na grama. Gustavo levou baralho e jogamos truco no meio. Minhas costas doem. Se fosse porta-bandeira estava ferrado”, brincou Serginho.

Outros atletas da seleção, ainda não decidiram, mas estão com vontade de ir.

“Eu quero muito. Acho que fui o primeiro a levantar o dedo quando perguntaram quem queria ir. Se der uma brechinha, eu vou lá. Uns tão cuidando de lesão e o Bernardo pediu para dar uma segurada. Eu estou zerado”, afirmou o levantador William.

“Eu queria ir muito. Fui em Londres e foi uma experiência muito bacana. Mas, ontem, informaram que pode durar sete horas e meia. A princípio, quero ir, sim. No Brasil, quero ver essa festa. Na TV você vê melhor, mas o clima lá é outro”, disse o central Lucão.

A seleção feminina de vôlei estreia no sábado (6), às 15h, contra Camarões, e já definiu que estará fora da abertura. Assim como a seleção feminina de handebol, que estreia às 9h, também no sábado, contra a Noruega.

Segundo o COB, estarão no campo do Maracanã atletas de atletismo, badminton, boxe, canoagem slalom, ciclismo, esgrima, futebol, ginástica artística, ginástica trampolim, golfe, handebol (masculino), hipismo adestramento, hipismo saltos, levantamento de peso, lutas, nado sincronizado, polo aquático feminino, rúgbi (masculino), saltos ornamentais, taekwondo, tênis, tênis de mesa, tiro esportivo, vela e vôlei (masculino).

Nesta quinta-feira (4), 294 atletas de 25 modalidades já estão hospedados na Vila Olímpica. No entanto, nem todos eles irão à festa de abertura nesta sexta. E os motivos são os mais diversos.

Campeões olímpicos como Arthur Zanetti, da ginástica artística, e Sarah Menezes, do judô, já competem logo no sábado (6). Portanto, já sabiam que não poderiam participar da festa no Maracanã.

Equipes como a do tiro com arco, por exemplo, já estarão no Sambódromo nesta sexta-feira para definir a ordem dos confrontos que acontecem a partir do sábado pela manhã.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir