Cultura

Bazar ‘Desapeguei’ terá música e gastronomia no próximo domingo

Nova edição do bazar “Desapeguei”, no domingo, reunirá mais uma vez gastronomia, música, encontro de amigos e, claro, vendas de produtos variados - foto: divulgação

Nova edição do bazar “Desapeguei”, no domingo, reunirá mais uma vez gastronomia, música, encontro de amigos e, claro, vendas de produtos variados – foto: divulgação

Como todo bazar que se preze, o carro-chefe do evento “Desapeguei” é a venda de produtos usados, que seus expositores não querem mais, porém, podem interessar a outras pessoas. Mas, essa iniciativa cultural vai além e inclui gastronomia e música, num momento oportuno para reunir amigos, fazer novas amizades e conversar sobre assuntos variados.

A terceira edição do “Desapeguei” está marcada para o próximo domingo (8), das 16h às 22h, mais uma vez na residência do idealizador do evento, o publicitário manauense Rafael Froner – rua 1, casa 3, conjunto Jardim Primavera, bairro Parque 10 (atrás do Raça Fla/Ecos Bar).

Dez expositores vão participar com vendas de DVDs, CDs, mangás, livros, toy arts, LPs, roupas, acessórios, fantasias, jogos eletrônicos, pôsteres, móveis e objetos de decoração variados, inclusive natalinos. Tudo a preços camaradas e negociáveis.

Entre os diferenciais do “Desapeguei” em relação a outros tipos de bazares está a seleção dos objetos que são comercializados. “Procuramos não vender qualquer produto, escolhemos itens que sejam curiosos. Converso com o interessado em participar para saber o que quer vender, pois buscamos itens de bom gosto”, explica Froner.

O publicitário lembra que a ideia do evento surgiu certo dia, quando escolhia um filme para assistir pelo Netflix (serviço de vídeos sob demanda) e, no mesmo momento, olhou para a sua prateleira de DVDs e questionou: “Por que tenho tantos filmes se nem assisto a todos? Resolvi, então, colocá-los à venda e convidei amigos que eu sabia que tinham itens legais que podiam ser comercializados”.

A primeira edição do “Desapeguei” aconteceu em agosto e a segunda, em outubro. Froner conta que, de lá para cá, surgiram muitos interessados em se inscrever para participar como expositores, mas ele avisa que a intenção não é transformar o evento em algo “grandioso”. “O intuito não é crescer, é criar um evento intimista”. Mesmo assim, quem quiser participar de futuras edições do bazar, planejado para acontecer mensalmente, basta ir até o local e conversar pessoalmente com o publicitário.

Entre os expositores está o servidor público Richard Cruz. Ele vai participar pela segunda vez do evento, e revela que decidiu vender seus CDs e DVDs porque, atualmente, o seu principal interesse cultural são os discos de vinil. “Eu gostei de participar do ‘Desapeguei’ porque é uma oportunidade de fazer com que coisas legais ganhem outros donos.

Todo mundo tem seu motivo: falta de espaço, falta de grana, ou simplesmente porque enjoou de alguma coisa que já gostou e não quer mais, e simplesmente deixa num canto, encostada”, explica. No domingo, além de CDs e DVDs, Cruz venderá também livros e algumas roupas.

Cardápio

Música também faz parte do “Desapeguei” e a DJ Sheila Benjamin será a responsável pelo som. A seleção inclui David Bowie (“Modern love”), Daft Punk (“Lose yourself to dance”), Dream Team do Passinho (“De ladin”), Phoenix (“Lisztomania”), entre outros artistas.

Outro atrativo do “Desapeguei” é a parte gastronômica, que fica a cargo da “Cozinha da Sandra” e dos drinques da Kika. A “Cozinha da Sandra” é conhecida pelos jantares temáticos que foram realizados até o início do ano passado, no mesmo local. O cardápio especial, preparado pela funcionária pública Sandra Froner, voltou na primeira edição do bazar, com um pirarucu de casaca.

Para o próximo domingo, Sandra adianta que pensa em vender o cardápio de lanche que agradou os frequentadores do segundo “Desapeguei”. “Uma semana antes do evento é que eu resolvo o que vou cozinhar, mas é provável que eu repita o lanche com opções doces e salgadas”, revela.

E a designer e diretora de arte Erica Andrade, a Kika, conta que vai apostar desta vez em dois drinques. Um deles é o “Jurukika” (nome que foi escolhido por meio de votação dos participantes do bazar), à base de Jurupinga com vinho frisante tinto, uva e limão. “Essa bebida fez sucesso e vamos prepará-la de novo. O sabor é docinho”, diz a designer.

E o outro drinque terá como base abacaxi, preparado por meio de um técnica que deixa a fruta com a consistência de um purê, mas que ainda está em fase de teste. Kika é a responsável pela marca Papel de Mim, que inclui cadernos artesanais com ilustrações criadas exclusivamente pela designer, já vendidos no “Desapeguei”. Durante a terceira edição, ela vai desapegar de suas coleções de revistas da “MTV”, já extinta, e de design.

Por Luiz Otávio Martinz

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir