Esportes

Basquete dos EUA e da Espanha convocam seleções para Rio 2016

As seleções masculinas de basquete dos Estados Unidos e da Espanha estão convocadas para os Jogos Olímpicos Rio 2016, após lesões, contusões e ameaça de desistência em função do vírus Zika. As seleções finalistas da última edição dos Jogos, Londres 2012, virão com equipes fortes, como favoritas a repetirem a final, mas os norte-americanos terão desfalques importantes. A Espanha convocou os irmãos Marc e Pau Gasol e os Estados Unidos virão com nomes como Kevin Durant, Carmelo Anthony e Kyrie Irving.

Irving foi um dos destaques nas finais da NBA, a liga de basquete dos Estados Unidos. O armador do Cleveland Cavaliers desequilibrou em momentos cruciais e foi um dos principais responsáveis pela reação do time, que perdia a série de sete jogos por 3 a 1 e virou para 4 a 3 contra o Golden State Warriors, conquistando o título.

A presença de Irving, Anthony, Durant e outros jogadores garantem o favoritismo dos Estados Unidos ao ouro, mas a superioridade teórica poderia ser maior. Os dois maiores nomes da NBA e do basquete mundial na atualidade, o ala dos Cavaliers LeBron James e o armador Stephen Curry, do Golden State Warriors, já haviam anunciado que não viriam aos jogos do Rio.

Eles não são os únicos a desistir da Olimpíada: James Harden, Russell Westbrook, Chris Paul, dentre outros. Em nota, Curry alegou “vários fatores”, inclusive lesões recentes no tornozelo e no joelho. Outros apenas se declararam inelegíveis para a convocação, sem dar motivos, apenas expressando pesar em uma decisão “difícil” e declarando que esperam ser lembrados em convocações futuras.

Zika

O espanhol Pau Gasol, principal nome da equipe espanhola e um dos principais responsáveis pela classificação da Espanha para a Rio 2016, considerou não vir aos jogos por medo do vírus Zika. Gasol disse ter conversado com outros atletas que decidiram não vir ao Brasil, mas não citou nomes. Há cerca de duas semanas a imprensa internacional noticiou que Gasol cogitou congelar amostras de seu esperma para o caso de querer ter filhos nos próximos meses.

“Alguns desses atletas estão planejando ter filhos em um futuro próximo e isto pode afetá-los, pode afetar a saúde de seus filhos e esposas”, disse Gasol, em declaração divulgada no site oficial da NBA. “É importante falar abertamente sobre isso. É uma situação muito delicada”.

Convocados

Os convocados dos Estados Unidos são os armadores Kyrie Irving (Cleveland Cavaliers), Kyle Lowry (Toronto Raptors), Klay Thompson (Golden State Warriors), Jimmy Butler (Chicago Bulls) e DeMar DeRozan (Toronto Raptors); os alas Kevin Durant (Oklahoma City Thunder), Carmelo Anthony (New York Knicks), Paul George (Indiana Pacers), Draymond Green (Golden State Warriors) e Harrison Barnes (Golden State Warriors) e os pivôs DeMarcus Cousins (Sacramento Kings) e DeAndre Jordan (Los Angeles Clippers).

O técnico da Espanha Sergio Scariolo convocou 20 atletas e terá que cortar oito nomes até os jogos do Rio de Janeiro. O Real Madrid é o time que mais empresta jogadores para a seleção, com seis.

Os convocados pela Espanha são os armadores Sergio Rodríguez (Real Madrid), Ricky Rubio (Minnesota Timberwolves), José Manuel Calderón (New York Knicks), Guillem Vives (Valencia), Sergio Llull (Real Madrid), Juan Carlos Navarro (Real Madrid), Pau Ribas (Barcelona) e Alberto Abalde (Joventut), os alas Rudy Fernández (Real Madrid), Álex Abrines (Barcelona), Fernando San Emeterio (Valencia), Dani Díez (Unicaja), Felipe Reyes (Real Madrid), Pablo Aguilar (Gran Canaria), Nikola Mirotic (Chicago Bulls) e Víctor Claver (Lokomotiv) e os pivôs Willy Hernangómez (Real Madrid), Pau Gasol (Chicago Bulls), Illimane Diop (Baskonia) e Marc Gasol (Memphis Grizzlies).

Zika desfalca golfe

Embora o vírus Zika não seja uma justificativa explícita para as ausências na equipe de basquete dos EUA, foi a razão apresentada pelo golfista norte-irlandês Rory McIlroy, que competiria pela Irlanda e um dos principais nomes do esporte na atualidade, para não participar da volta do golfe ao programa olímpico.

Em um comunicado divulgado pela empresa que faz a gerência de sua carreira esportiva, McIlroy disse que percebeu que sua saúde e da família “vem antes de qualquer outra coisa”. “Embora o risco de infecção do vírus da Zika seja considerado baixo, é um risco, e é um risco não estou disposto a correr”.

Mais quatro golfistas avisaram que não irão ao Rio de Janeiro em agosto. Adam Scott, Louis Oosthuizen, Charl Schwartzel, Marc Leishman e Vijay Singh avisaram às federações de golfe de seus países que não virão. Destes só Leishman citou o Zika como um dos motivos para não vir: o vírus e a saúde debilitada de sua esposa.

O tenista suíço Roger Federer, por sua vez, está ansioso para competir no Brasil. Disse que fará “todo o possível” para competir nos jogos. Quanto ao vírus, afirmou que usará repelente, dentre outras precauções.

Além de alguns atletas manifestarem publicamente preocupação com o tema, cientistas internacionais propuseram à Organização Mundial da Saúde (OMS), em carta aberta, a mudança das datas das Olimpíadas e Paralimpíadas.

Em resposta, pesquisadores brasileiros que participam do Programa de Computação Científica da Fundação Oswaldo Cruz (PROCC/Fiocruz) e da Escola de Matemática Aplicada da Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro (FGV) afirmaram que não há motivo para tal atitude.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir