Dia a dia

Barco ‘Todos pela Vida’ leva prevenção de câncer ao interior

Além dos serviços que já integravam o PAI, o barco vai levar método preventivo de câncer de colo uterino às mulheres do interior – Divulgação

O governo do Amazonas deu o “start” para a nova fase do Programa de Atendimento Itinerante (PAI), que voltou as suas atividades com a inauguração do barco Todos Pela Vida. A embarcação partiu rumo aos municípios da calha do rio Juruá, com a missão de levar serviços de cidadania e saúde para as comunidades ribeirinhas, alguns deles inéditos, como a ultrassonografia (incluindo a transvaginal) e a citologia em meio líquido, exame preventivo mais moderno e eficaz no diagnóstico do câncer de colo de útero e de inflamações pré-cancerosas.

O Todos pela Vida é o primeiro dos três barcos do PAI que estão sendo recuperados com recursos do Fundo de Promoção Social (FPS). Na última quarta-feira, a embarcação partiu do estaleiro Juruá, no Cacau-Pirêra (Iranduba), logo após a inauguração na presença do governador do Amazonas, professor José Melo, da presidente de honra FPS, a primeira-dama Edilene Gomes de Oliveira, e do vice-governador Henrique Oliveira, além de outros gestores estaduais, rumo ao primeiro destino – Envira, a 1.208 quilômetros de Manaus, onde deverá chegar em 28 de março próximo.

O Amazonas, onde o câncer de colo uterino é o mais comum e mais letal entre as mulheres, é o segundo Estado do Brasil a oferecer o exame de citologia em meio líquido na rede pública de saúde. “Nosso Estado destacou recursos para que a tecnologia chegue ao interior. O câncer do colo do útero é um grande problema no Amazonas, mas nós resolvemos introduzir esse exame não só na capital, mas também entre os serviços do PAI, mesmo sendo caro, e ele permitirá que possamos detectar essa doença de forma precoce e reduzir os índices de mortalidade em nosso Estado, garantindo a saúde da nossa Mulher do Interior”, afirmou José Melo.

O roteiro de atendimento em 23 municípios na calha do Juruá acontece até o mês de julho – Divulgação

Apesar de criado há mais de duas décadas e de sua alta eficácia, o método de citologia em meio líquido é pouco empregado na rede pública de saúde do país por ser mais caro que o papanicolau convencional. “Essa e uma das doenças que mais matam as nossas mulheres, principalmente pela falta de acesso aos exames corretos. Poder ver a administração estadual se preocupando com isso e investindo pesado para garantir a saúde feminina é um alívio para mim como médica”, afirma Mônica Bandeira, especialista em câncer de colo uterino da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas (FCecon).

Os exames realizados durante os atendimentos do barco Todos pela Vida serão encaminhados a Manaus para laudo. O diagnóstico será feito na FCecon e no Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) e o resultado dos exames encaminhado para os municípios para entrega às pacientes. Nos casos em que houver alteração, a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) vai providenciar o tratamento imediato.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir