Cultura

Bandas locais: tendência ascendente de reconhecimento e prestígio

Integrantes da Antiga Roll avaliam de forma otimista o cenário do rock autoral, com o público consumindo CDs, camisetas e indo aos seus shows- foto: divulgação

Integrantes da Antiga Roll avaliam de forma otimista o cenário do rock autoral, com o público consumindo CDs, camisetas e indo aos seus shows- foto: divulgação

O cenário musical manauense fervilha aos olhos de quem busca o bom som no cenário alternativo da cidade. Repleto de bandas que fazem sucesso tanto local quanto nacionalmente, exemplo das já conhecidas Alaídenegão, Supercolisor, Selva Madre e Platinados, que conseguiram romper as fronteiras da região Norte, outros bons músicos têm emergido com a ajuda da internet e prêmios que apresentam os artistas ao público.

No cenário musical amazonense, a cantora e compositora Kely Guimarães, 28, é professora de música graduada em música pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Lançou seu primeiro projeto solo, o EP ‘Essência’, em 2013, especialmente na web, tendo excelente receptividade do público. A artista afirma que embasa seu trabalho autoral em pesquisas e conteúdos de assuntos sociais, afetivos e ambientais de forma poética e coerente, bem como da sua musicalidade, que mistura rock, folk e MPB.

De acordo com a cantora, suas influências são bastantes diversas e variadas, que vão de Led Zeppelin e David Bowie, até Naná Vasconcelos, bandas locais como a Zero Hora, Elisa Maia, e costuma consumir as músicas produzidas na Região Norte, para compor e para criar.

“Trabalho profissionalmente com a música desde 2008. Comecei tocando na noite e em seminários que aconteciam dentro da Ufam. Também participei de outros projetos. Estou trabalhando no segundo CD, que terá dez faixas, com produção musical de Bruno Prestes, e será lançado em 2016, além do clipe ‘Essência’, que foi lançado este ano”, garante a artista.

Outra banda que tem trilhado uma estrada ascendente no cenário local é a Antiga Roll. Há mais de 10 anos, os músicos de Maués vivem na capital amazonense tocando suas músicas. Influenciada por lendas como Ramones, a banda busca inspiração no som dos anos 1950, incluindo nomes como Chuck Berry, Jerry Lee Lewis e Johnny Burnette. Inconfundível também é a influência do grupo Velhas Virgens.

Sobre a produção do cenário local, a Antiga Roll é otimista. “Nunca tínhamos visto bandas tão boas lançando CDs de alta qualidade no cenário da cidade. Tanto de composições quanto sonoridade, como Dpeids, Infâmia e Os Playmobils são algumas delas. Sempre temos eventos de rock autoral e sempre lotados. Percebemos que as pessoas estão dando mais valor à música feita em nossa cidade comprando CDs, camisas e pagando ingressos. Com toda certeza, não perdemos para nenhum outro Estado do país”, declara o guitarrista Tharciso Yamane.

Segundo ele, a banda já tem no currículo alguns prêmios, além de três EPs produzidos. “Recentemente, lançamos o ‘Zumbi do Bar’, nosso primeiro disco de estúdio, gravado aqui em Manaus, mixado e masterizado no Rio de Janeiro, com 12 faixas e mais outras quatro como bônus”, conta.

Rompendo as fronteiras amazonenses do som do rock, a banda Os Tucumanus, que faz uma mistura de batidas de sons e ritmos brasileiros, mescla também temáticas variadas em suas letras, passando pelo cotidiano urbano e pela realidade regional amazônico. O grupo tem mais de 14 anos de carreira e já está no seu terceiro álbum.

Uma das mais antigas bandas do cenário local contemporâneo, a Platinados vez por outra ‘acaba e ressurge com novas formações’, que sempre agradam a cena local. Comemorando os 15 anos de estrada, o grupo se define como uma “uma história construída aos poucos, na base do boca a boca, dos shows inesquecíveis e da inegável qualidade poética das letras”. Os músicos lançaram o single ‘Betty Boop’, que pode ser ouvido na internet.

A banda Luneta Mágica está em seu segundo álbum, ‘No meu peito’, depois do elogiado disco de estreia, ‘Amanhã vai ser o melhor dia da sua vida’. Os artistas trazem um som bastante consistente e produzido pela própria banda, o novo trabalho traz 11 canções autorais, que marca o amadurecimento artístico do grupo. A Luneta Mágica apresenta uma mistura entre o rock, o folk e elementos da música eletrônica. Recentemente, recebeu o prêmio de menção honrosa pelo videoclipe ‘Lulu’, na terceira edição do Festival de Audiovisual de Belém 2015.

Prêmio Xibé

Este ano, o Prêmio Xibé premiará os melhores músicos autorais do Estado do Amazonas. Considerado uma das iniciativas mais envolventes da música amazonense, o Prêmio Xibé 2015 vai eleger os melhores artistas do ano.

Ao todo 15 categorias serão agraciadas com menções honrosas. Entre elas, o júri formado por produtores culturais, músicos, professores e jornalistas pontuará os indicados com base nos seguintes critérios: musicalidade, performance/estilo, originalidade, criatividade/inovação, popularidade/carisma, versatilidade e sonoridade.

Serão premiados baterista, baixista, vocalista, guitarrista, DJ, além da melhor banda e melhor música de 2015. As votações seguem até o fim do mês pelo www.premioxibe.com.br/votacoes.

Por Stênio Urbano

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir