Cultura

Balé melhora a autoconfiança e desenvolve equilíbrio e habilidades motoras

Os benefícios da prática ainda se estendem na fase adulta – Divulgação

Considerado um dos exercícios mais comuns de se praticar na infância, o balé clássico é uma atividade física que envolve a dança e a disciplina exigida na prática de qualquer exercício. Por isso, é muito comum ser indicado para crianças pequenas e até adolescentes pelos benefícios para o corpo e mente.

De acordo com o ortopedista Leandro Gregorut, especialista em Medicina do Esporte, o balé na infância proporciona o desenvolvimento de um sentido chamado propriocepção, ou seja, a criança desenvolve a habilidade motora fina, o equilíbrio, a força dos membros inferiores e da coluna.

“Além do desenvolvimento da parte física, o ballet desenvolve e incentiva na criança a disciplina, concentração, força de vontade de atingir um objetivo e o ‘estado de excelência’, pois os movimentos precisam ser perfeitos e bem executados”, complementa Gregorut.

Os benefícios da prática ainda se estendem na fase adulta com a disciplina e facilidade de concentração, além de um excelente alongamento, postura correta, força da musculatura lombar, abdominal e do core (musculatura que circunda a coluna).

Ao contrário do que muitos pensam, os benefícios dessa prática advêm de muito esforço físico. Não é à toa que pesquisadores da Universidade de Hertfordshire, no Reino Unido, garantiram que o balé clássico é um exercício ainda mais completo que a natação. No estudo, eles compararam o desempenho de membros da academia Royal Ballet com o de nadadores da seleção olímpica britânica, e os bailarinos apresentaram melhores resultados em sete das dez medidas de condicionamento físico analisadas, como equilíbrio psicológico, flexibilidade e equilíbrio corporal.

Além das vantagens para a saúde física, o balé proporciona ainda contato com a arte e música clássica, histórias, cenários e figurinos. Com isso, a criança ainda passa a trabalhar sua imaginação e a criatividade.

“Os exercícios desenvolvem também a musicalidade, algo essencial na vida de uma bailarina. Isso é uma oportunidade de enriquecimento e formação cultural’’, ressalta a professora de balé Lucianne Murta.

Apesar de serem inúmeros os benefícios trazidos pelo estudo dessa dança clássica, é importante considerar que o prazer e a diversão ainda são os fatores mais relevantes. “‘Sabemos que o balé clássico exige muito dos alunos e fazer com que esses momentos sejam lúdicos e prazerosos para a criança também é nosso objetivo, pois o balé precisa ser, acima de tudo, uma satisfação pessoal”, finaliza Lucianne Murta.

EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir