Economia

Baixa expectativa de vendas faz lojistas de Manaus driblarem crise com promoções para Dia das Crianças

dia-das-criancas-marcio-melo

Empresária do ramo dispensa ilusões e diz esperar que número de vendas alcance, pelo menos, o do ano passado – foto: Márcio Melo

Depois de acumular queda no primeiro semestre e sair do mês de agosto também com recuo, mesmo com a recuperação do otimismo, o comércio não espera alta significativa para o Dia das Crianças. E, faltando menos de um mês para a data comemorativa, para driblar a crise, as lojas apostam nas promoções, expondo brinquedos com preços mais em conta em relação ao ano passado.

A diretora da rede de lojas Hobby Brinquedos, Ruth Souza, disse que a expectativa da empresa é de conseguir vender, pelo menos, o mesmo volume do ano passado nesse período. “Não acreditamos em crescimento no nosso setor, o abalo na economia foi grande e não adianta se enganar”, avaliou.

Para Ruth, como não haverá crescimento no segmento infantil, principalmente porque o ticket médio de compras do consumidor vem de queda nos últimos anos, a loja manterá o foco nos brinquedos de qualidade, mas, com custo mais baixo para os clientes.

Além de preços mais baratos, a diretora informou que a estratégia contra a crise será uma promoção, que dará 20 mil reais em vale-compras no mês de outubro. “Os brinquedos mais vendidos serão os que melhor couber no bolso do cliente, mesmo os com forte mídia. Sabemos que os presentes serão os de menores custo aliado a qualidade e esse e o nosso Forte”, afirmou Ruth Souza.

A gerente da loja Brinkelândia, Elisangela Costa, apontou que a demanda está bem baixa do comum. Para gerar movimento, a empresa tem feito contatos com os clientes. E como forma de incentivar a escolha da loja, ela disse que os clientes participarão de sorteio de bicicletas.

“Buscamos atrair com promoção e sorteios. Nós adaptamos o estoque com brinquedos mais em conta, inclusive para os clientes com poder aquisitivo maior. No geral, o consumidor está muito inseguro economicamente. Todos muitos incertos do que vai ser amanhã, tanto os empresários quanto os assalariados”, observou a gerente da loja.

CDL

A Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL-Manaus) – que ainda está em fase de levantamento de dados -, estima que, se houver crescimento ele estará na faixa de 1 a 2%, em relação ao mesmo período do ano passado.

Segundo o presidente da CDL-Manaus, Ralph Assayag, as expectativas são baixas por conta do momento econômico pelo qual passa o país. Ele observou que numa conta mais racional o correto seria que o crescimento no volume de vendas fosse superior a 10%, uma vez que a cada ano o número de crianças é sempre maior do que o anterior. Contudo, ele observou que, apesar da recuperação da confiança do empresariado, o consumidor segue muito retraído.

“Com a definição do novo comando do país veio o otimismo do empresariado. Tivemos inclusive todas as câmaras de dirigente reunidas com a confederação em Brasília, onde ficou claro entusiasmo com o novo governo, e se fizer tudo que foi colocado é bem possível que consigamos um resultado bom já em outubro”, comentou.

Por Emerson Quaresma, do jornal EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir