Política

 Audiência de Custódia vai contribuir para reduzir população carcerária no Estado, diz governador

Após a implantação do programa, as autoridades presentes assistiram à primeira audiência de custódia do Estado - foto: Herick pereira/Secom

Após a implantação do programa, as autoridades presentes assistiram à primeira audiência de custódia do Estado – foto: Herick pereira/Secom

O governador José Melo participou, na manhã desta sexta-feiram ( 7) , da cerimônia de implantação do projeto Audiência de Custódia, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), destacou que a iniciativa vai possibilitar economia ao Estado, principalmente com a redução da população carcerária, além de oferecer a oportunidade de ressocialização aos presos.

“O sistema penitenciário brasileiro está superlotado e grande parte desses presos são aqueles que cometeram crimes de menor potencial e ficam esperando por meses para serem ouvidos por um juiz. Agora será diferente, com isso você retira das penitenciárias pessoas que não precisariam estar ali, fazendo com que o Estado também gaste menos para manter esses presos”, afirmou José Melo.

O governador também frisou que, a partir do momento em que o réu recebe a sua pena alternativa, ele também passa a receber apoio da rede social que dispõe o Estado, com o oferecimento de cursos profissionalizantes, por exemplo.

Manaus é a primeira capital do Norte do país a implantar o programa, que pretende reduzir o número da população carcerária brasileira. Estiveram presentes no evento o presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Mauro Campbell, a presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargadora Graça Figueiredo, e o prefeito de Manaus, Arthur Neto. Após a implantação do programa, as autoridades presentes assistiram à primeira audiência de custódia do Estado.

Desenvolvido pelo CNJ em parceria com os Tribunais de Justiça estaduais, o projeto prevê a apresentação dos presos em flagrante a um juiz no prazo de 24 horas, conforme estabelecem tratados internacionais de direitos humanos assinados pelo Brasil.

O governador José Melo assinou um Termo de Cooperação Técnica entre o TJAM, o Ministério Público do Estado, a Defensoria Pública do Estado e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM), voltado para a implantação do projeto no Estado, por meio da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). A presidente do TJAM, desembargadora Graça Figueiredo afirmou que o projeto pretende combater a cultura do encarceramento, existente no Brasil.

Para o ministro Lewandowski, o programa é uma forma de garantir os direitos fundamentais dos presos brasileiros.  “Estamos dando um enorme salto no ponto de vista civilizatório e humanitário. Nós prendemos muito e prendemos mal. Temos cerca de 600 mil presos e 40% são presos provisórios, encarcerados por pequenos delitos, que poderiam ser sancionados por medidas alternativas, mesmo que em caráter provisório”.

O ministro destacou ainda que, com o projeto, o objetivo é, até o final deste ano, colocar em liberdade provisória cerca de 120 mil presos. Com isso, a economia gerada pode chegar a R$ 4, 3 bilhões de reais.

Resultado – Uma das prioridades da atual gestão do CNJ, as audiências de custódia têm conseguido reduzir em cerca de 40% a 50% o número de presos provisórios (ainda não julgados) nos Estados onde o projeto já foi implantado. Além do Amazonas, já estão trabalhando nesse sistema os Estados de São Paulo, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Rio Grande do Sul e Paraná.

No Amazonas, o índice de presos provisórios é de 57% dos 7.455 detentos que formam a população carcerária local. Segundo informações da Secretaria de Estado da Segurança, a cidade de Manaus registra uma média de 367 prisões em flagrante por mês. Em Manaus, as audiências de custódia, após o lançamento, serão realizadas diariamente no Fórum Enoch Reis, situado no bairro São Francisco, zona centro-sul. De segunda a sexta-feira, o horário será das 14h às 18h. Aos sábados e domingos, das 8h às 18h.

Com informações da assessoria de comunicação

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir