Cultura

Atividades culturais de volta à rua Bernardo Ramos, no Centro Histórico de Manaus

Artistas e figurantes vão atuar trajando os modelos clássicos da época – foto: divulgação

Artistas e figurantes vão atuar trajando os modelos clássicos da época – foto: divulgação

De 24 de outubro a 12 de dezembro, a rua Bernardo Ramos, no Centro de Manaus, vai receber um novo cenário. Trata-se de uma releitura da capital amazonense do século passado, com a encenação de artistas e figurantes trajando os modelos clássicos da época e de profissionais que atuavam no século 20 na cidade.

Entre ele, o sapateiro, o fotógrafo lambe-lambe, engraxate, cascalheiro, jornaleiro, pipoqueiro, florista, coquetes, lavadeiras, babás, padeiro e o próprio Bernardo Ramos – dono do primeiro Jornal do Amazonas.

Quem prestigiar a extensa programação na Bernardo Ramos, nesse período, vai conferir ainda, espaços para exibição de filmes antigos como Charles Chaplim, Gastronomia, sob comando do ‘Rota dos Chefs’, Artesanato, shows musicais em um palco exclusivo para as apresentações, oficias de artes para cursos de pintura, maquiagem, fotografia, mosaico, reciclagem e mesas rondas onde serão discutidos temas como ‘Patrimônio Cultural’.

O Caberá do Chinelo, promete ser umas principais atrações do evento. Um cenário está sendo montado para a releitura do local – um dos mais bem frequentado pela elite da época- os barões da borracha.

O Cabaré vai oferecer diversas atrações culturais, com participação de dançarinos, músicos e cantores. As Companhias de Dança ‘Pagê’ e ‘Rosa de Salão’, fazem parte da programação, além de músicos e cantores, que irão compor o cenário, trazendo de volta o romantismo e o glamour do Cabaré do Chinelo, a som de instrumentos musicais e canções daquele período.

Cerca de 700 pessoas estão evolvidas na execução do projeto cultural ‘As Portas do Passado Abrindo as Janelas para o Futuro’ – do Instituto Amazônia – entre artistas, profissionais, artesão, técnicos, universitários, e comunidade do entorno da Rua Bernardo Ramos.

Premio
O projeto que irá proporcionar tudo isso foi comtemplado pelo edital da Manascult 2015, com prêmio no valor R$ 70 mil. O projeto cultual é considerado pela Manauscult, um dos melhores dentre os contemplados e mais bem elaborados.

No encontro com a imprensa, o presidente do Instituto Amazônia, Paulo Henrique de Castro apresentou aos jornalistas, além da programação do projeto ‘As Portas do Passado Abrindo as Janelas para o Futuro’, o que é o instituto e algumas das muitas ações desenvolvidas em Manaus e no interior do Amazonas, nas áreas da responsabilidade social, responsabilidade ambiental, cultura, serviços especializados e tecnologia.

“Nos oferecemos consultoria, treinamento, capacitação, elaboração de projetos e gestão, às prefeituras, empresas, profissionais liberais, gestores, autônomos, comunidades e sérvios diversos, com o objetivo de desenvolver as atividades locais por meio da capacitação dos públicos que atendemos”, disse o presidente.

O Instituto Amazonas, fundado em 27 de setembro de 2001, é pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com autonomia administrativa e financeira.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir