Mundo

Ataque contra hotel no Mali deixa ao menos quatro mortos

Pelo menos quatro pessoas, incluindo dois soldados, foram mortas nesta sexta-feira (7) em um ataque com reféns em um hotel onde estrangeiros costumam se hospedar em Sevare, no centro do Mali.

Homens armados invadiram o hotel Byblos no início da manhã, informaram à agência francesa AFP fontes militares em Gao, a maior cidade do norte do Mali (570 quilômetros ao leste de Sevara), onde o Exército tem um posto de comando operacional.

“As Fama (Forças Armadas do Mali) isolaram a área para tentar resgatar os reféns”, informou a fonte militar.

Os militar relataram “dois mortos e três feridos em suas fileiras”, disse a mesma fonte.

Um homem que usava um cinto com explosivos foi morto, e o corpo de outro, de pele branca, estava do outro lado da rua.

Até às 15h (12h em Brasília) ainda se ouviam “tiros esporádicos” na vizinhança dos hotéis Byblos e Debo, segundo testemunhas.

Uma fonte das forças de segurança local indicaram que os terroristas tentavam sequestrar pilotos russos da Minusma, a missão de paz da ONU no Mali.

Os pilotos foram levados para uma base militar em Sevare, e os terroristas se entrincheiraram no hotel.

A AFP não conseguiu entrar em contato com nenhum membro da Minusma para confirmar a informação.

Sevare fica a cerca de 10 quilômetros de Mopti, na fronteira norte do Mali, onde vários ocidentais já foram sequestrados.

Vários grupos ligados à Al Qaeda, incluindo a Al Qaeda no Magreb Islâmico (AQMI) e o grupo Ansar Dinero, tomaram o norte do Mali, entre março e abril de 2012, aproveitando a derrota do Exército contra os rebeldes tuaregues, que eram aliados dos islâmicos antes de serem expulso por estes.

Uma intervenção militar internacional promovida pela França em 2013 expulsou muito destes terroristas, mas grandes áreas de território continuam fora do controle das autoridades.

O ataque em Sevare é o terceiro em menos de uma semana no Mali.

Em 1º de agosto, um ataque em Nampala (no centro do país) deixou dois mortos. No dia 3, 11 soldados foram mortos em uma base da Guarda Nacional em Gurma Rharus (no noroeste).

De acordo com uma fonte militar no hotel Byblos, havia pelo menos cinco estrangeiros registrados antes do ataque – três sul-africanos, um francês e um ucraniano.

Uma testemunha disse que houve uma tentativa de sequestro, o que foi confirmado por outros moradores da cidade consultados pela AFP.

O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Mariana Betsa, escreveu, no Twitter, que “há um ucraniano entre os reféns. Junto com nossos parceiros estrangeiros, tomaremos as medidas de emergência para tentar sua libertação”.

Procurado pela AFP, o Ministério das Relações Exteriores da África do Sul disse estar ciente da situação no Mali e que a embaixada no país está em contato com as autoridades.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir