Sem categoria

Assalto a loja de matérias de construção que resultou em morte de funcionário foi arquitetado por casal

O grupo foi autuado pelos crimes de latrocínio e organização criminosa - foto: Márcio Melo

O grupo foi autuado pelos crimes de latrocínio e organização criminosa – foto: Márcio Melo

A polícia apresentou na manhã desta quarta-feira (2), na Delegacia Geral, Zona Oeste, cinco integrantes do bando que assaltou a loja Pavão Material de Construção, na avenida Autaz Mirim, Zona Leste, onde um funcionário acabou sendo assassinado.

O latrocínio (roubo seguido de morte) ocorreu no dia 5 de novembro passado, e vitimou o funcionário Antônio Histenis Moreira, 47. A época, os suspeitos roubaram do local a quantia de R$ 50 mil.

Os presos são Jardson Felix Souza de Almeida, 29, Gutemberg de Lima Mariano, 27, Renato Santana dos Santos, 21, e Tatiane Cavalcante Batista, 21, além de um adolescente de 17 anos que foi apreendido.

De acordo com o delegado titular em exercício da Segundo a Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), Denis Pinho, um outro integrante do grupo que já estar preso identificado como Wallace é ex-funcionário do estabelecimento e namorado da Tatiane, que estava trabalhando na empresa como vendedora, ambos arquitetaram o crime.

“A mulher passou as informações da data do pagamento para o grupo e avisou o parceiro quando o dinheiro chegou ao local”, disse o delegado.

No dia do crime, o grupo chegou ao local em carro que não teve as placas divulgadas, em seguida entrou no estabelecimento. Gutemberg estava com uma espingarda caseira, rendeu os funcionários e clientes.

Já Wallace, que estava com um capuz para não ser reconhecido, dava as ordens e as coordenadas de onde estava o dinheiro. Após recolher a renda da empresa e os pertences das vítimas e clientes, Gutemberg alvejou com um tiro Antônio Moreira. Em seguida o grupo fugiu do local.

Ainda segundo o delegado o funcionário não reagiu ao assalto, o suspeito teria atirado por crueldade. “ Ninguém reagiu ao assalto, o Gutemberg atirou por total crueldade. De acordo com as nossas investigações, esse grupo está envolvido em vários roubos na capital”, falou Pinho.

Em depoimento, Gutemberg se diz arrependido e fala que atirou porque estava nervoso. “ Não queria atirar e muito menos matar alguém, fiz isso porque estava muito nervoso”, falou o suspeito.

Já Renato falou que ganhou apenas a quantia de R$ 1 mil pela participação no crime e que o valor levado da loja foi apenas R$ 8 mil e não R50 mil como havia sido divulgado.

Tatiane também se diz arrependida e fala que somente participou do crime porque foi ameaçada pelo namorado. “Ele falou que iria matar a mim e minha filha, caso não o ajudasse. Fiquei com medo, por esse motivo acabei passando todas as informações. Estou muito arrependida”, lamentou a mulher.

A polícia informou que apenas um integrante do bando, identificado como Jonatas Lopes Aquino, 18, continua foragido.

O grupo foi autuado pelos crimes de latrocínio e organização criminosa. Após os procedimentos feitos na delegacia, os elvolvidos serão levados para uma das unidades prisionais da capital.

O adolescente foi encaminhado a Delegacia Especializada em Apurações de Atos Infracionais (Deaai), na Zona Oeste da capital.

Por Mara Magalhães

Com informações de Ana Sena

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir