Sem categoria

Arthur Zanetti leva ouro no Brasileiro, sua primeira competição pós-Pan

Arthur venceu todas as competições que disputou esse ano – foto: divulgação

Arthur venceu todas as competições que disputou esse ano – foto: divulgação

O campeão olímpico, mundial e pan-americano Arthur Zanetti confirmou o favoritismo e ficou com o ouro nas argolas no Troféu Brasil e II Etapa Caixa de Ginástica Artística e Rítmica, no Ginásio de Esportes Constâncio Vieira, em Aracaju (SE), neste domingo (2).

Pela Serc/Agith, Arthur apresentou uma série simplificada, com nota de partida mais baixa e mais adequada para o momento, após o desgaste do Pan. Arthur ficou com o ouro (15.350), Caio Souza com a prata (14.850) e Francisco Barreto Jr. com o bronze (14.100).

Agora, os compromissos de Arthur Zanetti são a etapa da Copa do Mundo da Croácia, em Osijek, de 17 a 20 de setembro, e o 46º Mundial de Glasgow, na Escócia, de 23 de outubro a 1 de novembro.

Arthur Zanetti volta a cumprir a agenda de compromissos com a seleção, no Rio de Janeiro, e objetiva crescer gradativamente, em sua forma física, e também no trabalho de detalhes técnicos em sua série, primeiro para a Copa do Mundo de Osijek e depois para o Mundial, que é pré-olímpico – as oito melhores equipes asseguram vaga para os Jogos Olímpicos Rio 2016. O Brasil nunca teve um time completo na ginástica artística masculina numa Olimpíada.

“Eu gostei da minha série hoje. Foi muito melhor do que nas eliminatórias – o último giro e a saída que eu queria consertar eu corrigi. A apresentação nas argolas em si foi muito melhor”, disse Arthur que, no entanto, teve nota menor do que nas eliminatórias (15.400).

“Tem de representar o meu clube, SERC/Agith, pelo fato dele me ajudar a ganhar uma medalha olímpica. E é sempre bom competir dentro do Brasil, ainda mais por São Caetano. O ginásio estava cheio e isso é bom para a ginástica”.

Arthur venceu todas as competições que disputou esse ano – três etapas de Copa do Mundo, o Pan e o Brasileiro -, mas garante que não se sente pressionado para os desafios que terá pela frente. “Nem um pouco. Eu venho fazendo o meu trabalho e me sinto mais tranquilo do que nunca. A cada competição a gente vai aumentando um pouco mais o nível e crescendo na nota final, que é o que a gente espera.”

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir