Dia a dia

Arthur Neto sanciona reajuste salarial de professores da rede municipal de Manaus

Os mais de 15 mil servidores da Secretaria Municipal de Educação (Semed) terão reajuste salarial em 9,28%. O aumento, aprovado pela Câmara Municipal de Manaus (CMM) e sancionado pelo prefeito Arthur Neto na edição 3906, do Diário Oficial do Município (DOM), será dividido em duas parcelas.

A primeira, de 5%, será paga em junho com retroativo a 1º de maio, data-base da categoria, e a outra, de 4,28%, a partir de 1º de janeiro de 2017. Em quatro anos, a prefeitura concedeu reajuste de 38,78 pontos percentuais aos educadores da rede pública municipal.

Para a Semed, o reajuste dos professores resultará em um impacto orçamentário, no exercício de 2016, de R$ 19,5 milhões, incluindo o 13º salário. A previsão da folha da secretaria é de R$ 727,9 milhões, de janeiro a dezembro, mais 13º.

O Projeto de Lei 107/2016, que versa sobre o reajuste, passou pelas comissões de Finanças e Economia (CFEO), de Serviços Públicos (Conserp), de Educação (Comed) e de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) da CMM, antes de ser aprovado.

A secretária da Semed, Kátia Schweickardt, destacou que o reajuste salarial é resultado da gestão de qualidade implantada na secretaria, que tem como foco o aluno, com a melhoria do processo do ensino e aprendizagem, reforço escolar e redução do abandono; e o professor, com a valorização dos educadores e crescimento da oferta de formações.  “O prefeito tem demonstrado o que de fato está na nossa prioridade ao fazer gestão de qualidade na educação de Manaus. Para isso temos dois grandes braços. Um é o foco no aluno e o outro braço é o professor, que a gente considera o protagonista de uma política de educação de qualidade. Hoje somos uma secretaria, que apesar da crise do Brasil, temos um salário médio superior ao que acontece no restante do País e, junto com o prefeito Arthur Neto, estamos honrando o dissídio dos professores com esse reajuste de 9,28%”.

De 2013 a 2016, a Prefeitura de Manaus concedeu reajustes aos servidores da educação que somam 38,78 pontos percentuais de aumento. Com a elevação deste ano, a partir da folha de junho o salário do professor (20 horas) passará de R$ 1.971,92 para R$ 2.052,91, e os de 40 horas de R$ 3.701,85 para R$ 3.863,83.

Auxílio alimentação

Em janeiro de 2016, a Prefeitura de Manaus também concedeu reajuste de 10% no auxílio alimentação dos educadores da rede municipal de ensino. O benefício estava sem aumento há oito anos. O aumento foi acordado entre a prefeitura e o Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Amazonas (Sinteam), beneficiando mais de 15 mil servidores, dos quais 12.127 são professores da rede municipal de ensino.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir