Dia a dia

Arthur Neto quer proibir construção de presídios em área urbana de Manaus

Para Arthur Neto, foi completamente inadequada a transferência de presos de alta periculosidade para a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa – foto: Janailton Falcão

O prefeito Arthur Virgílio Neto encaminhará, nos próximos dias, para a Câmara Municipal de Manaus (CMM), um Projeto de Lei para proibir a construção de novos presídios no perímetro urbano da capital. A informação foi divulgada, nesta quarta-feira (4), durante a abertura da vacinação contra o HPV para meninos.

Arthur Neto lamentou os prejuízos causados à imagem turística da capital amazonense, conquistados com a realização da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos. A medida é uma resposta à guerra entre facções criminosas dentro das unidades carcerárias de Manaus, que resultou na morte de 60 detentos durante a rebelião ocorrida no último dia 1° de janeiro, no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj).

Esse é o maior massacre em presídios do Amazonas e o segundo maior do Brasil, ficando atrás apenas da Chacina do Carandiru. Ao todo, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), 184 detentos também fugiram do Compaj e do Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat).

“Vamos mexer no Plano Diretor para proibir que novos presídios sejam construídos dentro do perímetro urbano de Manaus pela simples razão de garantir a segurança do povo que eu governo, porque numa situação de fuga, como a ocorrida, até que esses bandidos cheguem à capital terão que enfrentar muitas barreiras”, defendeu o prefeito.

Para Arthur Neto, foi completamente inadequada a transferência de presos de alta periculosidade para a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus e que já havia sido desativada. “Aquilo é mais uma peça histórica, que poderia até virar um Museu da Polícia, qualquer coisa, menos um presídio”, frisou.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir