Sem categoria

Arthur Neto manterá salário de secretários municipais

Segundo a Semcom, os salários foram redefinidos em 2013 - foto: arquivo/EM TEMPO

Segundo a Semcom, os salários foram redefinidos em 2013 – foto: arquivo/EM TEMPO

O prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), disse, nessa terça-feira (6), segundo a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom), que a redução de salários na administração municipal não está sendo estudada. Segundo a Semcom, os salários foram redefinidos em 2013, quando o prefeito revogou uma lei aprovada, em 2012, que previa um reajuste de 20% a 35% nos salários do Executivo municipal de 2013 a 2016. A Semcom informou que a redução acarretou em uma economia mensal de R$ 2,4 milhões.

Ontem (6), o governador do Estado, José Melo (PROS), encaminhou um projeto de lei para a Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) que prevê a redução de 10% no próprio salário e nos salários do vice-governador e dos dirigentes das secretarias e órgãos da administração direta e indireta do Executivo estadual.

De acordo com Arthur, os salários do primeiro escalão da administração municipal estão ‘congelados’ desde 2005. “Todos os esforços para reduzir os gastos da administração municipal estão sendo feitos para que a prefeitura de Manaus possa continuar honrando os compromissos com servidores e população. Os salários estão congelados há 10 anos. Fui o primeiro a reduzir os salários, ainda em 2013”, disse o prefeito, segundo a Semcom.

Ainda conforme a Semcom, “a análise da redução de salários, por enquanto, não está em estudo. Mas, se necessária, entrará em pauta. Isso porque os vencimentos do prefeito, vice-prefeito, secretários e subsecretários permanecem os mesmos desde 2005, ou seja, há 10 anos”.

A Semcom informou ainda que o último reajuste de salário ao prefeito, vice-prefeito e secretários foi dado pelo ex-prefeito Serafim Corrêa (PSB), em 2005. Em 2009, o prefeito à época, Amazonino Mendes (PDT), manteve os salários ‘congelados’ e, em janeiro de 2013, após assumir o cargo, Arthur Neto encaminhou para o Legislativo municipal um projeto de lei que revogada uma lei aprovada em 2012 que estabelecia um aumento de 20% a 35% nos salários do Executivo municipal de 2013 a 2016.

Atualmente, o prefeito recebe R$ 18 mil mensais, o vice-prefeito R$ 17 mil por mês e os secretários têm um salário de R$ 15 mil, acarretando em uma despesa, anual, de aproximadamente R$ 3,5 milhões.

Por Camila Carvalho

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir