Sem categoria

Arthur Neto diz em vídeo que repudia aumento na tarifa de ônibus e que vai recorrer da liminar junto à PGM

Arthur Neto garantiu que a prefeitura já está resolvendo o problema junto à PGM e que está em Brasília “cuidando de assuntos referentes a Manaus” - foto: divulgação

Arthur Neto garantiu que a prefeitura já está resolvendo o problema junto à PGM e que está em Brasília “cuidando de assuntos referentes a Manaus” – foto: divulgação

O prefeito Arthur Neto (PSDB) publicou um vídeo em sua página no Facebook, na manhã desta segunda-feira (11), repudiando o reajuste da tarifa do transporte público pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), em Manaus. O chefe do Executivo municipal disse que a entidade não iria “brincar” com ele como tinha feito com outros prefeitos e que a população não iria sair prejudicada no momento de crise que assola o país.

O reajuste da tarifa de ônibus foi autorizado na última sexta-feira (8), pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam), através do desembargador Ari Moutinho,  que determinou o aumento de R$ 3 para R$ 3,55.

“O Sinetram agiu de maneira arrogante, impensada e incompetente. Ele foi à Justiça, conseguiu a liminar sem consultar a prefeitura e já anunciou que na segunda-feira (hoje) iria cobrar a nova tarifa. É um abuso tentarem passar por cima da minha autoridade. Sou absolutamente democrático e aberto ao dialogo”, argumentou o prefeito.

No vídeo, Arthur enumerou o que a prefeitura tinha feito para melhorar sistema, como a construção de um centro de controle de operações, faixa azul, reforma dos terminais 3, 4 e 5, reconstrução do terminal 2. O prefeito também destacou  projetos que ainda estão em andamento como a restauração do terminal 1 e o planejamento da estação do Bus Rapid Transit (BRT), que seria a grande solução do transporte público da cidade.

O prefeito encerrou o vídeo informando que a Procuradoria Geral de Município de Manaus (PGM) já está recorrendo da liminar e que não há data definida para vigorar.

“Está apertado para o Sinetram, assim como está para a todo mundo, mas, por que  vai para as costas do povo? O certo é empurrar o reajuste em uma época de desemprego e de crise? Eu não posso concordar com isso”, questionou.

Arthur Neto garantiu que a prefeitura já está resolvendo o problema junto à PGM e que está em Brasília “cuidando de assuntos referentes a Manaus”.

Em nota, a Secretaria de Comunicação do Município (Semcom) anunciou que o aumento no preço da passagem de ônibus na capital será definido pela prefeitura. A decisão ficou acertada entre a prefeitura e o Sinetram durante uma reunião na manhã de hoje.

Conforme o comunicado, o novo preço levará em consideração o subsídio de R$ 1 milhão por mês pago pelo município às empresas do setor.  Os empresários também recebem subsídios de  R$ 1 milhão do Governo do Estado.

Assim como no vídeo divulgado pelo prefeito, a nota também informou que “a PGM  foi notificada na manhã de hoje e que já analisa os fundamentos da decisão e as questões processuais incidentes para ingressar com recurso de agravo interno. Uma nova rodada de negociações deve acontecer ainda esta semana”.

A reportagem entrou em contato com a assessoria do Sinetram para falar sobre o vídeo, mas a mesma disse que a entidade prefere não se pronunciar sobre o assunto.

CMM apoia Arthur

Na Câmara Municipal de Manaus (CMM), os vereadores apoiaram o prefeito e condenaram reajuste de transporte coletivo determinado pela Justiça.

O vereador Álvaro Campelo (PP), que é presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, anunciou que os órgãos de Defesa do Consumidor já estão se reunindo para barrar na Justiça esse reajuste, caso seja mantido. “Não podemos permitir esse aumento no momento em que o Distrito Industrial demite e que a crise econômica impacta nos bolsos dos que mais sofrem e que têm dificuldades de colocar o alimento em sua mesa”, disse.

Elias Emanuel, líder do Governo na Câmara, disse que o reajuste não tem as digitais do prefeito Arthur Neto e que o prefeito em exercício, Marcos Cavalcante; o secretário da Casa Civil, Márcio Noronha, e os representantes do Sinetram estão buscando alternativas para adiar ao máximo esse aumento para a população.

Além destes, Pastora Luciana (PP), Professor Bibiano (PT) Júnior Ribeiro (PTN), Luís Mitoso (PSD), Professor Samuel (PHS), entre outros também se manifestaram contra o reajuste.

Por Kattiúcia Silveira e assessorias

1 Comment

1 Comment

  1. Dácio Montenegro

    11 de abril de 2016 at 17:17

    Ônibus sucateados, péssima qualidade no transporte público. Aumento da passagem de ônibus não passará.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir