Cultura

Arte urbana resgata o cotidiano amazônico

Paredes de viadutos são ‘telas’ perfeitas para a arte - foto: Ione Moreno

Paredes de viadutos são ‘telas’ perfeitas para a arte – foto: Ione Moreno

Quem passa pelos viadutos de Manaus já deve ter notado os desenhos de grafites que estão sendo produzidos nesses locais. A arte urbana que valoriza a história e retrata os animais da região e o cotidiano amazônico é uma iniciativa da prefeitura de Manaus para elevar o status desses locais a atrações turísticas.

Para receber a arte, os locais passaram por um processo de limpeza e pintura, trabalho desenvolvido pela Secretaria Municipal de Infraestrutura de Manaus (Seminf).

No Complexo Viário de Flores, os artistas estão reproduzindo o cenário valorizando a Belle Époque, mostrando a arquitetura da época com traços mais modernos. “É um trabalho bem legal. Vamos tentar resgatar os valores e a identidade cultural da nossa cidade, retratando imagens daquele período. Esse um projeto bem interessante por tornar esses espaços públicos ocupáveis”, explica o escritor de graffiti, Rodrigo Pot.

O escritor de graffiti Rodrigo Pot atua com outros quatro grafiteiros na produção dos desenhos no Viaduto de Flores – Dabela Neto, Odois, Ilovemagenta e Turenko Beça são os responsáveis por garantir um visual novo no local.

Já no Complexo Viário Gilberto Mestrinho, popularmente conhecido como Bola do Coroado, as artes valorizam a cultura amazônica, representando a região com desenhos de índios e pássaros. Para o escritor de graffiti Arab Amazon, o trabalho é uma forma de divulgar a cidade ao redor do mundo. “Hoje o graffiti é um grande propagador cultural”, diz.

Murais

A equipe formada por sete grafiteiros, incluindo Arab, conta com a participação dos artistas Choke, Raiz, Soft, Mega, Pial e Ude, que já finalizaram um mural na área e seguem na produção dos outros três. “Os trabalhos que fazemos aqui são postados na internet e divulgados em páginas de outros países, então, o nome de Manaus acaba indo nesses murais para outros locais e as pessoas ficam sabendo que na cidade existe um grande movimento cultural destinado ao grafite”, destaca Amazon.

No complexo Viário do São José, zona Leste, os desenhos ainda não iniciaram, mas o artista visual Turenko, adiantou que a ideia é trabalhar um cenário voltado para os ribeirinhos, mas com uma abordagem diferente da que o público está acostumado a ver.  “Estamos tentando mostrar o que é hoje, com uma visão do futuro” disse Turenko.

Já no Complexo Viário Miguel Arraes, zona Centro-Sul, a ideia é que os desenhos retratem a flora amazônica e que seja produzido por artistas mulheres. “Eu acho sensacional esse projeto. É algo que já acontece no mundo, essa humanização dos espaços públicos de transformar o concreto em arte, além de que esse projeto está colocando muita gente para trabalhar, contratando artistas, a maioria da periferia”, contou Turenko.

O artista visual disse, ainda, que o projeto é uma forma de divulgar a arte para várias pessoas ao mesmo tempo. “É uma exposição ao ar livre. A quantidade de pessoas que passam no local a todo momento é muito grande”, disse.

Por Esterffany Martins

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir