Sem categoria

Arrecadação do IPTU deve ter aumento de até 30%

Para este exercício do IPTU, Prefeitura de Manaus incluiu um total de 530 mil imóveis, somando uma base de R$ 409 milhões, afirma a Semef - foto: divulgação

Para este exercício do IPTU, Prefeitura de Manaus incluiu um total de 530 mil imóveis, somando uma base de R$ 409 milhões, afirma a Semef – foto: divulgação

Mesmo diante do atual cenário de crise econômica, a Prefeitura de Manaus espera aumentar em até 30%, em 2016, a arrecadação com o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) em relação ao mesmo período do ano passado. O montante previsto para ser arrecadado neste ano é de R$ 200 milhões. 

Com o prazo final do pagamento da primeira parcela e da cota única com desconto se encerrando no próximo dia 7, já foram recolhidos R$ 86,5 milhões aos cofres municipais, segundo dados da Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno (Semef). Quem optou no primeiro momento pelo pagamento da cota única teve desconto de 15% sobre o valor total do imposto.

De acordo com o secretário da Semef, Ulisses Tapajós, a meta de arrecadação, de 1° de janeiro até 31 de dezembro deste ano, é chegar aos R$ 200 milhões. “Tivemos aquela interrupção pelo Ministério Público, mas mesmo assim conseguimos o engajamento da população para seus compromissos almejamos êxito na arrecadação”, disse o secretário.

Conforme Ulisses Tapajós, o aumento previsto só será possível devido à inclusão por parte da prefeitura de novos imóveis na lista dos contribuintes aptos a pagar o IPTU de 2106. Segundo a assessoria da Semef, a Prefeitura de Manaus lançou para este exercício um total de 530 mil imóveis, somando uma base de R$ 409 milhões.

O contribuinte pode pagar em até dez parcelas e com datas e vencimentos diferentes o valor do IPTU.

Metas

Outra meta estabelecida era diminuir a inadimplência sobre o imposto, que, de acordo com a Semef, diminuiu ao longo dos anos.

Em 2014, o índice fechou em 52,39%. Já em 2015, a inadimplência foi de 49,64%. Em 2016, a meta da prefeitura é reduzir em 5% o número de contribuintes inadimplentes.

Em 2016, especificamente, a base de cálculo do IPTU, além da inflação de 10,97%, foi acrescida a quinta parte do reajuste aplicado por força da lei nº 1.628/11.

Por Stênio Urbano

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir