Sem categoria

Arquiteto é ferido a bala após ter o carro atingido por 16 tiros durante atentado

Hundai Alvejado

O carro da vitima está estacionado no pátio do Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto. Foto: Josemar Antunes

Ao sair de casa, o arquiteto Sátyro Afrânio Brasil Barbosa, 45, teve o carro alvejado por, pelo menos, 16 tiros, na tarde desta segunda-feira (24), por volta das 13h30, na rua Havana, conjunto Nova Cidade, Zona Norte de Manaus. A vítima foi baleada na barriga, na mão esquerda e quadril.

O sogro da vítima, que pediu para não ter o nome revelado, informou que três homens em um veículo Siena – cor grafite e placa desconhecida – abordaram o arquiteto no momento em que ele saía de casa e efetuaram os disparos contra ele. O arquiteto conduzia um veículo modelo HB20 – cor branca e placa OXM-2725. “Eu estava no quarto quando ouvi os tiros. Quando cheguei a rua vi os criminosos fugindo em alta velocidade. Ao me aproximar do veículo, encontrei o meu genro baleado”, disse.

A mulher da vítima, Cíntia Araújo, informou aos policiais que, minutos antes de deixar a residência, havia esquecido um objeto e retornou para buscar, foi quando os atiradores surgiram e começaram a atirar. Após ser baleado, o arquiteto foi socorrido e levado pela própria mulher ao pronto-socorro 28 de Agosto.

Segundo a assessoria de comunicação do pronto-socorro, Sátyro sofreu ferimentos na barriga, mão esquerda e quadril. A vítima passou por cirurgia e o estado de saúde é considerado estável.

Todos os tiros foram efetuados de pistola 380 milímetros e atingiram o lado esquerdo do motorista. Na ocasião, o arquiteto chegou a deitar o banco para não morrer. Dois tiros chegaram a atravessar o veículo.

O caso foi registrado no 15º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Os criminosos seguem foragidos.

Atentado

Um dos familiares da vítima explicou que Sátyro já havia sido alvo de um atentado há 3 anos, dentro do estacionamento de uma loja comercial, na avenida Boulevard Álvaro Maia.

Durante as investigações, foram apontados no inquérito policial como os principais suspeitos o coronel Felipe Arce Rio Branco (envolvido no caso do ex-deputado Wallace Souza) da Polícia Militar e sobrinho dele, identificado como Bruno Bandeira, além de Aline Ogino, ex-mulher do arquiteto.

“Os autores do primeiro atentado são os mesmos de hoje. Toda essa situação está relacionada a uma briga judicial pela guarda das crianças. O Bruno é casado com a ex-mulher do meu genro e não aceita a briga na Justiça”, explicou.

Por Josemar Antunes

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir