Esportes

Arena e seu entorno viram ‘caldeirão verde’ em título da Copa do Brasil

Dos milhares de torcedores que se aglomeraram nas ruas ao redor do estádio, apenas uma parte viu o jogo pelas TVs dos bares ou via celular - foto: divulgação

Dos milhares de torcedores que se aglomeraram nas ruas ao redor do estádio, apenas uma parte viu o jogo pelas TVs dos bares ou via celular – foto: divulgação

Se dentro, o estádio do Palmeiras parecia um caldeirão durante a conquista da Copa do Brasil, na noite de quarta (2) e madrugada desta quinta-feira (3), fora não era diferente. Segundo a Polícia Militar, cerca de 4.000 pessoas estavam nos arredores.

Com a camisa do Palmeiras, Rafael Diego Lopes, 26, não parava de caminhar pela rua Palestra Itália. De um lado para o outro, sozinho, sofreu. Mas também comemorou. Mesmo sem ver nenhum gol. Ele ouviu, por meio dos gritos palmeirenses.

Ele e milhares de torcedores passaram pela mesma agonia. Sem ingresso, ficaram fora do estádio. Lopes percorreu cerca de 228 km de carro para sentir o Palmeiras ser campeão. Veio de Porto Ferreira com um amigo sócio-torcedor e obteve ingresso.

“Só de estar aqui com outros palmeirenses já vale. Não vi nenhum lance do jogo. Estou nervoso demais. Quiseram me vender um ingresso por R$ 280. Mas é muito caro, prefiro ficar aqui sozinho. Se eu voltar para Porto Ferreira campeão já valeu.”

Dos milhares de torcedores que se aglomeraram nas ruas ao redor do estádio, apenas uma parte viu o jogo pelas TVs dos bares ou via celular. O restante sentiu.

“É muito sofrimento. Ouvimos o jogo pelo rádio da lanchonete. É campeão. Tricampeão!”, disse Bruno Salgado, 28, administrador de empresas, que veio de São Vicente e ficou fora da arena com outros cinco amigos.

Virou Réveillon verde na rua Palestra Itália, a antiga Turiassu, em frente ao estádio palmeirense.

Os torcedores aproveitam para tirar sarro de todos os rivais. A maioria dos gritos era contra o Santos (“lugar de peixe é dentro do aquário”).

Mas também sobrou para o São Paulo, “único sem título em 2015”. E até para o Corinthians, que os palmeirenses já projetam derrotar na Libertadores.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir