Esportes

Árbitros aprovam ajuda de vídeo e preveem menos pressão nas partidas

Ifab

A aprovação de testes do uso de vídeo para auxiliar em lances duvidosos no futebol agradou a arbitragem brasileira. foto: divulgação

No sábado (5), a International Football Association Board (Ifab), entidade que regula as regras do futebol, concordou que sejam feitos testes para que imagens sejam usadas em caso de dúvida em lances capitais. A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) pretende que a Série A do Brasileira esteja nos campeonatos incluídos na pesquisa já a partir de agosto de 2016.

“Dará aos árbitros melhores condições de decisão em todos os jogos e essa decisão vai de anseio ao que todos que gostam de futebol querem. Há lances em partidas que escapam do olho humano, e somente o recurso eletrônico consegue clarear essas jogadas”, disse o gaúcho Leandro Pedro Vuaden, o segundo árbitro que mais trabalhou em jogos de torneios organizados pela CBF em 2015 -o primeiro foi o também gaúcho Anderson Daronco.

Para Vuaden, que também representa a CBF no quadro Fifa, o uso da imagem vai fazer com que qualquer desconfiança que haja sobre a arbitragem diminua.

“Tira um pouco da pressão, daquela desconfiança que paira sobre a arbitragem. Por mais que se busque o melhor em campo, infelizmente sempre paira uma desconfiança de torcedor, de dirigente de que a decisão tomada foi influenciada. O que todo mundo tem que entender é que o árbitro não é inimigo do futebol, que tentamos tomar sempre as decisões acertadas. E agora, com esse recurso, fica mais fácil tomar essa decisão acertada”, disse Vuaden.

Na proposta da Fifa, um assistente de vídeo terá acesso à imagem e poderá ser acionado pelo árbitro principal.

A imagem poderá ser usada em quatro situações: para validar ou não gol (impedimento ou mão na bola, por exemplo), em casos de dúvidas em marcação de pênalti, de aplicação de cartões vermelhos e para evitar a expulsão de atleta errado.

“Somos totalmente favoráveis, do jeito que está não dá para continuar, ou então tira o direito de a TV ficar repetindo os lances”, disse Marco Antônio Martins, presidente da Anaf (Associação Nacional dos Árbitros de Futebol).

Apesar de favorável, Martins entende que o vídeo ser usado para identificar em lances de interpretação, como marcação de pênaltis ou cartões vermelhos, pode transferir o ônus pelas falhas do árbitro principal para aquele que vai ficar responsável pelo vídeo.

“Quantas vezes você está vendo o jogo na sala com um amigo, e você vê o lance dez vezes e acha que foi pênalti, e teu amigo discorda? Temos que mudar a cultura do futebol, de sempre tentar colocar a culpa na arbitragem, senão vamos mudar apenas o foco das reclamações”, disse o presidente da Anaf.

Em 2015, a CBF recebeu diversas reclamações oficiais de clubes contra árbitros em jogos da Série A, o que fez a entidade solicitar à Fifa o uso de vídeo, enviando, inclusive, uma proposta de modelo.

“Eles [Ifab] foram até mais ousados do que nós na proposta, pois, na nossa, o árbitro não poderia pedir a revisão da imagem, somente o assistente, se notasse algo errado”, disse Sérgio Corrêa, chefe do departamento de arbitragem da CBF.

 

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir