Economia

Aprovados em concurso da Susam protestam em frente ao órgão e exigem convocação

O ato aconteceu em frente à sede do órgão, localizada na avenida André Araújo, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul. foto: Divulgação/Leitor EM TEMPO online.

O ato aconteceu em frente à sede do órgão, localizada na avenida André Araújo, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul. foto: Divulgação/Leitor EM TEMPO online.

Um grupo de 50 pessoas aprovadas no concurso da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam) em 2014 realizou na manhã desta terça-feira (10) um protesto exigindo a convocação pelo governo. O ato aconteceu em frente à sede do órgão, localizada na avenida André Araújo, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul de Manaus.

Segundo uma das organizadoras do movimento, Bia Pause, os aprovados querem uma resposta do governo quanto à convocação, já que, segundo eles, o Estado teria renovado o contrato de mais de 500 terceirizados.

“Já realizamos várias manifestações e o governador sempre nos diz que não tem dinheiro para fazer a convocação dos concursados. Só que, de março pra cá, o Estado renovou o contrato de mais de 500 terceirizados. O que nós queremos é que seja liberada a lista de convocação e comecem a substituir os temporários pelos aprovados”, comentou.

Conforme Bia Pause, o resultado oficial do certame saiu em dezembro do ano passado e em março deste ano foi homologado no Diário Oficial do Estado (DOE).

Após a manifestação, o grupo se reuniu com representantes da secretaria para apresentar as reinvindicações, porém a organizadora do movimento informou que eles não deram nenhuma resposta conclusiva.

De acordo com o Instituto Municipal de Engenharia e Trânsito (Manaustrans), mesmo com o ato, o trânsito no local fluiu normalmente.

Em nota, a Susam informou que o concurso público realizado pelo órgão no ano passado, e cujo resultado final foi homologado em abril deste ano, está dentro dos prazos legais do edital, tendo validade de dois anos, prorrogáveis por igual período. Todos os classificados dentro do número de vagas têm assegurado o direito à nomeação.

A secretaria frisou ainda que, quando o referido certame foi planejado, o País não atravessava o atual cenário de crise econômica, que exigiu a reprogramação financeira e orçamentária, em todas as esferas da administração pública.

Por equipe EM TEMPO Online

Com informações de Gerson Freitas (equipe Jornal AGORA)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir