Economia

Apps de táxi investem em descontos, novela e futebol para enfrentar Uber

Aproximadamente 800 taxistas participaram da mobilização - foto: Márcio Melo

Aproximadamente 800 taxistas participaram da mobilização – foto: Márcio Melo

Os problemas no transporte público já são, por si só, uma boa publicidade a qualquer iniciativa que busque alterar a realidade do setor no país. Mesmo assim, aplicativos de táxi vêm investindo alto em propaganda em um momento que alternativas, como o Uber, também crescem.

Nesta sexta-feira (27), o Uber anunciou, por exemplo, uma redução de 15% na tarifa para viagens em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Com a movimentação do Uber, os apps de táxi também vêm agindo.

Corridas grátis, descontos, inserções em televisão durante a novela, patrocínio a times de futebol e até mesmo propagandas no metrô -concorrente do táxi- fazem parte da estratégia para conquistar novos usuários e também taxistas às redes.

A disputa é por um mercado com cerca de 34 mil táxis (apenas em SP) e que movimenta mais de R$ 1 bilhão por mês no país, segundo estimativas do setor.

A 99Taxis é uma das start-ups na disputa pela liderança. A empresa começou a ser mais agressiva no marketing, após receber investimento de R$ 130 milhões no ano passado e aumentar em 100% a verba destinada a publicidade em 2015 em comparação a 2014.

Após construir uma base de taxistas, que hoje gira em torno de 120 mil pelo país, a 99 buscou então ser conhecida pelo público -e uma das apostas é o futebol. Começou então a patrocinar oito clubes no país, entre eles Corinthians, Cruzeiro e Bahia.

Trens do metrô de São Paulo adesivados de amarelo -cor do aplicativo- também fizeram parte da estratégia.

Além disso, descontos de 20% na corrida (percentual bancado pelo aplicativo) foram oferecidos aos usuários no início deste ano. O percentual se mantém em promoções esporádicas pelas redes sociais.

Mas o ponto alto foi na TV, com anúncios durante o Jornal Nacional e a novela das 21h da Globo.

“Em junho contratamos a agência África para massificar a 99. Esse é o objetivo da propaganda: fazer com que as pessoas conhecessem as vantagens dos aplicativos de táxi e, além disso, fizemos com que a comunicação fosse leve e bem humorada”, diz Maria Elisa Silva, diretora de marketing da empresa.

Corridas para o aeroporto

De acordo com taxistas, um ponto crucial para o crescimento do Uber em São Paulo foi a cobrança de 50% sobre o valor da corrida dos táxis ao aeroporto de Guarulhos. Os trabalhadores afirmaram que o número de corridas havia despencado.

Foi aí que a 99 decidiu combater isso agindo para que os taxistas abrissem mão da cobrança extra. Após consulta, a empresa resolveu abdicar da taxa.

“Já começamos a sentir o retorno de investimento em torno de 20% a 30%, que as pessoas já estão usando mais o aplicativo e nossos números estão crescendo”, completa Silva.

A Easy Táxi, a outra empresa na busca pela liderança, conta também com 120 mil taxistas cadastrados. Ela iniciou parcerias com bares e marcas de bebidas alcoólicas para oferecer descontos aos usuários que pedissem táxis via aplicativo.

A start-up, que recebeu uma série de investimentos em três anos, sendo o último de cerca de R$ 120 milhões, em 2014, também ofereceu descontos para iniciantes, Ela também mantém parceria com empresas, como Santander e TAM, para que os empregados dessas empresas ganhem descontos ao utilizar táxis via aplicativo.

“A tendência é isso [a propaganda]. Mas só conseguimos fazer isso graças à malha de táxis pulverizada, então fazemos uma ação unificada. Por isso, conseguimos juntar a classe toda e, por meio da tecnologia, prover descontos via aplicativo”, diz Dennis Wang, co-CEO da Easy Táxi.

O futebol também faz parte do rol de promoções. A empresa oferece 10% de desconto nas corridas para os Sócio Torcedores de 70 clubes do país.

Apesar de não falar em percentual ou valores, a empresa afirma que há um potencial de crescimento para ela no mercado.

“No Brasil, aproximadamente 18% dos usuários de táxi que têm smartphone usaram o aplicativo. Isso dá para crescer muito só com gente que tem celular. Esse mercado deverá bater os 100% logo, então imagina englobando todo mundo”, afirma Wang.

Concorrência

Apesar de disputarem o mesmo mercado, a opinião das empresas é convergente: há espaço para todo mundo.

Já em relação ao Uber, há o pedido dos aplicativos por uma melhor regulação do setor.

“Para a gente não foi uma surpresa a chegada do Uber. Somos a favor da regulamentação do setor. Tem muitas delas que querem regularizar os aplicativos de táxi, então para nós uma lei nacional ajudaria muito. Eu defendo que a lei seja respeitada”, diz Wang.

“A lei hoje é muito clara, a única forma de transporte individual de passageiro, é o táxi”, conclui.

Apesar de não comentar sobre o avanço do Uber no mercado, a 99Taxis afirma observar as movimentações do mercado e não descarta novas possibilidades para um aceno a esse tipo de transporte.

“A gente trabalha muito com o mercado regulatório, ainda há uma demanda muito grande [no mercado de táxi]. Hoje seria obviamente tirar o foco [criar uma empresa concorrente], mas acompanhamos o mercado e queremos sempre inovar”, diz Pedro Somma, diretor de operações da 99.

Calculadora

Em um momento em que as possibilidades de transporte crescem, também aumentam as dúvidas em relação a qual delas é mais vantajosa financeiramente.

O economista da FGV, Samy Dana, desenvolveu uma calculadora que mensura os gastos envolvidos entre ter um carro próprio, utilizar táxi, Uber ou um carro compartilhado todos os dias.

Há ainda a possibilidade de alterar o número de corridas e a quilometragem diária nos veículos de transporte público individual e, no carro particular, os custos de seguro, litro da gasolina, desvalorização do bem, entre outras variáveis.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir