Tecnologia

Apple apresenta novo serviço de música por assinatura nesta segunda

Durante sua conferência anual para desenvolvedores, o WWDC, realizado entre esta segunda (8) e esta sexta (12), a Apple apresentará um novo aplicativo de música por streaming, que se somará ao iTunes Radio e é o resultado da aquisição do serviço Beats, realizada em maio do ano passado.

Também haverá novidades acerca do sistemas para dispositivos móveis, o iOS, e do para computadores Mac, chamado OS X.

O chamado keynote, principal apresentação, que deve ter os executivos Tim Cook e Craig Federighi, entre outros, está marcado para começar às 10h locais (14h de Brasília).
A informação sobre o novo produto de música da fabricante do iPhone foi revelada neste domingo (7) pelo presidente-executivo da Sony Music, Doug Morris, durante evento em Cannes, na França.

A imprensa especializada em tecnologia diz que o “Apple Music”, como pode ser intitulado, custará menos que os possíveis competidores (Deezer, Google Music All Access, Rdio, Spotify, Tidal), a US$ 10 (cerca de R$ 31) em vez de US$ 15 (R$ 47). Não há informações sobre em que mercados deve ser introduzido primeiro.

Streaming é o método “progressivo” para conteúdo multimídia, que permite a execução antes do fim do download, adotado por Netflix, Spotify e YouTube, por exemplo. Normalmente, usuários têm de pagar uma mensalidade para ter acesso aos serviços de música do tipo, e há uma pressão legal de gravadoras para que não haja qualquer conteúdo acessível gratuitamente por meio deles.

Morris, da Sony, também afirmou durante sua conferência que o possível Apple Music será um “divisor de águas” para a transição do modelo de venda de música (tanto em formatos físicos quanto digitais) para o de assinatura, relata o site VentureBeat.

“O que eles têm a agregar? [ao segmento] Bom, a Apple tem US$ 178 bilhões em caixa e dados de 900 milhões de cartões de crédito no iTunes”, disse. “O Spotify nunca fez publicidade porque não dá lucro. Acho que a Apple deve fazer propaganda disso [seu futuro produto de música] loucamente, e isso terá um enorme efeito no negócio de streaming.”

A aquisição da Beats Music e da Beats Electronics (fabricante de populares e chamativos fones de ouvido) pela Apple se deu em maio do ano passado, em negociação de US$ 3 bilhões.

Software
Voltada para programadores, a conferência realizada em San Francisco deve ter muitas novidades acerca da facilitação do processo de criação, de testes e de adaptação para novas plataformas de aplicativos, mas a Apple também pode mostrar o que o usuário receberá no iPad, no iPhone e nos Macs em breve.

Um aguardado e hipotético anúncio é o de um novo Apple TV, o set-top box da marca para o uso de serviços como Netflix na televisão, que poderia ser transformado em uma central para aparelhos de casa conectada, segundo o site Macworld. No WWDC passado, a companhia lançou uma plataforma para fabricantes criarem lâmpadas, fechaduras, eletrodomésticos e outros produtos que “falam” com aparelhos da Apple.

Esse lançamento pode ser adiado, contudo, por um atraso no seu desenvolvimento, segundo o jornal “The New York Times”.

O aplicativo de localização para os dispositivos móveis e computadores da Apple, o Maps, também será objeto de mudanças, segundo o Macworl, e deve ganhar informações de transporte público em algumas poucas cidades -Nova York e San Francisco-, um sistema de localização “indoor” para shoppings e museus e a função de buscar restaurantes e atrações turísticas próximas do usuário, diz o site.

Uma nova ferramenta de desenvolvimento de aplicativos para o relógio Watch -que a Apple anunciou que chegará a mais seis países neste mês, mas não ao Brasil- também pode ser apresentada, segundo o site Quartz.

Os novos sistemas iOS 9 e OS X (que ainda não teve um possível nome revelado) deverão ser melhor integrados ao relógio feito pela empresa, diz o site.

O iOS 9, ou como for chamada a próxima edição do software, deve receber incrementos na segurança, com melhor criptografia e, supostamente, o fim do “jailbreak” (técnica que permite o uso de aplicativos pirateados), segundo o site do jornal “The Telegraph”.
O periódico britânico diz que o sistema de pagamentos móvel Apple Pay pode ser introduzido no Reino Unido.

A publicação menciona, ainda, os rumores que surgiram em torno de um possível carro feito pela empresa, apesar de admitir a improbabilidade do anúncio.

Um novo iPhone é esperado só para o fim do ano. A Apple costuma “fechar” o ciclo anual de seu telefone entre setembro e outubro.

Segundo o 9to5Mac, uma nova fonte tipográfica, chamada San Francisco, será apresentada no evento, e terá legibilidade melhor para telas pequenas como a do Apple Watch.
O evento terá cerca de 5.000 desenvolvedores, que pagaram ingressos de US$ 1.599 (cerca de R$ 5.000), e tomará lugar no centro Moscone, onde Google e Microsoft também fazem seus megaeventos para programadores.

Por Folhapress
* O repórter Yuri Gonzaga viajou a convite da Apple

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir