Eleições 2014

Após tentativa de invasão a comitê, Braga vai à Justiça

Policiais militares tentaram invadir o comitê de campanha do senador Eduardo Braga, que vai à Justiça contra José Melo - foto: divulgação

Policiais militares tentaram invadir o comitê de campanha do senador Eduardo Braga, que vai à Justiça contra José Melo – foto: divulgação

A ação desastrosa de um grupo de policiais militares, que foi detido e levado à Polícia Federal após atender a uma falsa denúncia de crime eleitoral, na última terça-feira (22), no bairro Parque Dez, Zona Centro-Sul de Manaus, serviu de munição para o candidato ao governo do Estado, Eduardo Braga (PMDB), da coligação Renovação e Experiência.

O advogado da coligação, Daniel Nogueira, informou, ontem (23), que fará uma representação por conduta vedada contra o governador José Melo (Pros), que disputa a reeleição, por suspeita de ter usado servidores públicos e a estrutura da Polícia Militar para tentar prejudicar a campanha eleitoral de Braga.

Ação judicial

Os oficiais da cadeia de comando da PM, que deram a ordem aos policiais militares envolvidos, também serão citados na ação judicial. No Ministério Público Eleitoral (MPE), será registrada uma notícia-crime contra os quatro PMs.

Na tarde de terça-feira, durante uma suposta denúncia de crime eleitoral, policiais militares tentaram invadir um comitê do candidato Eduardo Braga, no Parque Dez, que seria o local de distribuição de folhetins irregulares (apócrifos), que estampavam a reportagem de uma revista nacional sobre a crise na PM do Amazonas. O conteúdo era distribuído na rotatória do Mindu.

O comitê só não foi invadido pelos PMs porque o advogado da coligação de Braga, Marco Aurélio Choy, segurou o portão e impediu a ação dos policiais, que chegaram ao local em sete viaturas. Um helicóptero também foi visto sobrevoando a área.

Por Carlos Eduardo Matos (Jornal EM TEMPO)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir