Dia a dia

Após ser liberado em audiência de custódia, homem é preso pela segunda vez em Manaus

O homem foi preso com uma arma de fogo em um coletivo – Divulgação/PC-AM

Lizandro Farias de Almeida, 24, foi preso novamente, neste sábado (11), durante a operação Catraca, que reforça a segurança nos ônibus e terminais em Manaus. O homem já havia sido preso na última terça-feira (7), por envolvimento em roubos e corrupção de menores, mas foi liberado para responder pelos crimes em liberdade após participar de uma audiência de custódia.

A ação policial, que resultou novamente na prisão de Lizandro, foi realizada por policiais do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera), da Polícia Civil do Amazonas, durante fiscalizações da força-tarefa da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-AM).

Novamente Lizandro será encaminhado para uma audiência de custódia – Divulgação/WhatsApp

Durante abordagem policial, os policiais encontraram uma arma de fogo com Lizandro, que estava trafegando como cidadão comum em um ônibus do transporte público, segundo informou a equipe de investigação.

No dia (7), Lizandro foi preso após denúncia anônima ao 20º Distrito Integrado de Polícia (DIP), informando que dois infratores estariam em uma moto praticando uma sequência de roubos no bairro Novo Israel, Zona Norte, e na Comunidade União da Vitória, Zona Oeste da capital. Ele foi preso e flagrante, na companhia de um adolescente que foi apreendido, no momento em que tentava vender celulares roubados.

Segundo o delegado titular do 20º DIP, Rodrigo de Sá Barborsa, na delegacia uma das vítimas reconheceu o jovem e o adolescente como autores do roubo.

Já o adolescente, atualmente, responde por ato infracional análogo a crime de roubo majorado. Ele foi encaminhado à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai).

Na manhã desta segunda-feira (13) novamente Lizandro será encaminhado para uma audiência de custódia no Fórum Ministro Henoch Reis, bairro São Fransciso, Zona Sul de Manaus.

A expectativa, entre policiais, é de que o pedido de liberdade seja negado pela Justiça e o criminoso aguarde julgamento preso no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).

Isac Sharlon
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir